Tags: Negócio |

Atividade da Caixagest em 2018


O Relatório e Contas da Caixagest relativamente ao ano de 2018 não deixa de realçar o pessimismo crescente, que se verificou ao longo do último ano e que foi exacerbado no último trimestre, resultando "num ano atípico, em que praticamente todas as classes de ativos apresentaram performances negativas". Contudo, neste contexto, “bastante desafiante, de sentimento e de procura de fontes de valor para os clientes”, o relatório dá conta de que a Caixagest consolidou a sua liderança de mercado, nos fundos de investimento mobiliário, com uma quota de 33,4%. No caso dos fundos mistos, o crescimento da Caixagest foi de +37,7%, e nos fundos de ações foi de +24,5%.

“A gestão adequada das expetativas dos clientes e um acompanhamento permanente e próximo dos canais de distribuição, com uma atualização constante do enquadramento macroeconómico e de mercado, permitiram um reforço da posição da Caixagest em fundos com uma estratégia de maior diversificação por classes de ativos, carteiras equilibradas e de criação de valor para o cliente a longo prazo”, pode ler-se no relatório e contas. A entidade gestora comunica também que manteve uma estratégia comercial de “simplificação da oferta atual, adequando-a aos interesses, objetivos e necessidades” dos seus clientes.

No que se refere à gestão discricionária de carteiras, a Caixagest dá nota que o Serviço Wealth Management manteve a tendência de crescimento dos montantes geridos no segmento de particulares, que se traduziu num aumento de 13,6% apesar da volatilidade dos mercados financeiros.

XX

Contudo, são as carteiras de entidades seguradoras e outros institucionais que representam o grosso do enfoque do negócio de gestão de carteiras da entidade. As primeiras evidenciam um crescimento de 917 milhões de euros no período, mais que compensando a queda na rubrica ‘Institucionais’.

A entidade dá conta  de uma atualização dos sistemas de informação de apoio ao negócio durante o ano, nomeadamente:

  • Do sistema de front office para a gestão de ativos mobiliários, nomeadamente na consolidação da automatização das operações, gestão da negociação e pré-compliance;
  • Dos sistemas de valorização dos fundos com ativos mobiliários e imobiliários;
  • Do sistema de apoio ao processo de reconciliações financeiras e físicas;
  • E da consolidação da plataforma de gestão e distribuição de informação, que fornece serviços de informação na área de valorização, reporte legal e disponibiliza informação para a gestão dos fundos.

Durante 2019 e no âmbito do processo de Reorganização Societária do Grupo Caixa Geral de Depósitos, está prevista a fusão por incorporação da Fundger – Sociedade Gestora de Fundos de Investimento Imobiliário, S.A. na Caixagest – Técnicas de Gestão de Fundos, S.A..

Evolução financeira

O ano de 2018 resultou num crescimento de 12,0% nas comissões de gestão da Caixagest, que totalizaram 35,4 milhões de euros. Já os custos de estrutura registaram um acréscimo de 7,7%, face ao período homólogo. O resultado líquido cifrou-se nos 5,59 milhões de euros, evidenciando um crescimento de 64,5% relativamente ao ano anterior.

XXX

As comissões da gestão discricionária atingiram os 10,4 milhões de euros, que comparam com os 9,8 milhões de euros do ano anterior. Entre os fundos de investimento o fundo Consistente e Blockbuster Funds People, Caixagest Ações Líderes Globais é o responsável pelas maiores receitas no ano, com 6,3 milhões de euros. Três dos fundos geridos pela entidade representam mais de metade do total de comissões. 

XXXX

XXXXX

 

 

Empresas

Notícias relacionadas