As Small & Mid Cap Suíças, um ativo a ter no radar: duplicaram e triplicaram as rentabilidades históricas dos grandes índices


(TRIBUNA de Elena Villalba, diretora-geral da Mirabuad Asset Management. Comentário patrocinado pela Mirabaud Asset Management.)

O atual momento de mercado é complicado para as ações, disso não há dúvidas. Mas, como sempre, e muito mais situados no olho de furacão de uma grande crise como a que estamos a viver, a gestão ativa de carteiras é fundamental para aproveitar as oportunidades que oferecem as bolsas. Porque sim, as oportunidades existem. Mas é preciso saber localizá-las, não se deixando levar pelo curto-prazo e ter como foco o longo-prazo e uma diversificação equilibrada.

Neste contexto, na Mirabaud consideramos que as empresas suíças de pequena e média capitalização são uma alternativa para ter no radar. Falamos de empresas que, há décadas, mostram crescimentos sólidos e rentabilidades muito interessantes, muito acima de outros índices de referência de ações. Neste sentido, é muito ilustrativo que, desde 1 de março de 1996 e até 3 de abril d 2020, o índice de pequenas e médias empresas suíças, o SPI Extra (TR) CHF, registe uma rentabilidade de 827%, face aos 496% do S&P 500 (TR, SPTX) CHF e 256% do MSCI Europe (TR Net) CHF.

Assim, as empresas suíças de média e pequena capitalização têm um grande potencial de crescimento e um importante caráter inovador, quase sempre superiores aos que mostram empresas de maior tamanho, que vale a pena considerar quando começarmos a tomar posições em ações ou a reestruturar carteiras, premiando a diversificação e um horizonte de longo prazo.

Neste contexto, na Mirabaud Asset Management temos operacional o Mirabauud-Equities Swiss Small and Mid Cap, com cerca de 15 anos de história e 836 milhões de francos suíços sob gestão e que, ainda que com uma classe em euros, tem exposição ao franco suíço, já que a divisa não está coberta. Portanto, o investidor por sua vez diversifica a sua carteira com outras divisas de países com contextos económicos muito sólidos, como a Suíça.

O fundo, liderado sobre a base de uma gestão ativa e de convicção por Paul Schibli, responsável máximo de ações suíças na Mirabaud Asset Management, tem como objetivo superar a rentabilidade do SPI EXTRA Index. Para isso, a seleção de valores é sustentada numa análise “bottom-up” estruturada das empresas e que nos investimentos principais se centram em ações value (40%) e growth (60%) de qualidade, que apresentam valorizações razoáveis. A carteira concentra-se em 40 e 50 valores com uma divisão de 75% de empresas suíças de média capitalização e de 25% nas de pequena capitalização. Trata-se, assim, de um exemplo que mostra dois pontos a favor da estratégia de diversificação a que nos referimos anteriormente: exposição a um tecido empresarial de muita qualidade e a exposição ao franco suíço.

O fundo foi galardoado em 2015 com o prémio Lipper a 10 anos. Desde o seu lançamento em agosto de 2005 que o fundo acumula uma rentabilidade de 290%* face aos 186% do seu índice de referência (SPI Extra) e uma rentabilidade anualizada de 9,74%* face aos 7,44% do SPI Extra a fecho de 14 de abril de 2020.

Como expressava no início deste artigo, o mercado não está fácil. Mas não é menos certo que alguns valores reagiram de forma exagerada e oferecem um enorme potencial de valor a longo prazo. As perguntas que, atualmente, não têm resposta são quanto durará a emergência económica ou quando e como se vai restabelecer a atividade. Até possamos ver o porto após atravessar a tempestade temos de estar preparados para enfrentar mercados dominados por uma elevada incerteza e volatilidade.

Neste contexto, acreditamos que o melhor é ser extremamente seletivos, e optar por empresas com modelos comerciais estáveis e uma provada qualidade de gestão. É importante tratar de localizar empresas cujo crescimento não esteja relacionado com eventos macro, o que ajuda a melhorar sensivelmente a qualidade da carteira.

Ainda que estejamos conscientes do potencial de subida a curto prazo seja limitado e que levará algum tempo a voltar aos níveis prévios à pandemia, acreditamos que o atual – e profundo – retrocesso gera oportunidades a longo prazo. Quando os investidores começarem a olhar além do COVID-19 e comecem a aliviar os bloqueios por parte dos governos, aparentemente entre fim de abril e fim de maio, vai abrir-se um novo horizonte.

*Mirabaud - Equities Swiss Small and Mid I cap. CHF (rentabilidades anuais do fundo 31,51% em 2017, -17,64% em 2018 e 29% em 2019) Rentabilidades passadas não servem como indicação ou garantia de rentabilidades futuras)

Profissionais
Empresas

Notícias relacionadas

O Mais Lido