Tags: Pensões |

As gestoras de fundos de pensões que mais investem em fundos de investimentos


A Associação Portuguesa de Fundos de Investimento, Pensões e Patrimónios divulgou recentemente os dados relativos ao mercado de fundos de pensões no ano de 2017. O exercício que recentemente terminou revelou-se positivo para a generalidade dos fundos de pensões nacionais, com rentabilidades positivas em praticamente todos os produtos e níveis de risco. Além disso, a Associação deu conta de um crescimento de 7,4% dos volumes sobre gestão neste tipo de veículos de investimento entre as suas associadas - para 19 306,7 milhões de euros – e divulgou também as alocações das carteiras das diversas entidades associadas e respectivos fundos.

Nesta alocação, sobressai uma alocação média de 30,7% das carteiras a fundos de investimento de terceiros, o que configura um montante de 5,9 mil milhões de euros. A principal rubrica é a de fundos de ações, que agrupam 14,9% do património, enquanto os fundos de obrigações não vão além dos 9,9%. Os fundos de investimento imobiliário têm também lugar nas carteiras dos fundos de pensões, com um peso de 4,3%. É a Santander Pensões que mais confia nestes últimos, alocando-lhes 15,8% do património.

Das entidades associadas que divulgam o detalhe das carteiras, são a SGF e a Victoria Seguros que se destacam, investindo mais de 60% das carteiras em fundos de terceiros. Segue-se a Real Vida Pensões com 45,7% e a Ocidental Pensões - com uma alocação na ordem dos 37,8%. Do outro lado da moeda, é a BBVA Fundos que menos investe em fundos de terceiros, com 15,10% do património alocado aos mesmos.

A

Data 31 dezembro

Valores absolutos

A Ocidental Pensões, apesar de ocupar a quarta posição em termos relativos é aquela que se destaca em valores absolutos, dada a sua dimensão – mais de 5 mil milhões de euros de património. Neste sentido, o investimento em fundos de terceiros cifra-se em 2 mil milhões de euros, sendo que quase metade está investido em fundos de ações. Seguem-se outras duas gigantes do mercado, a CGD Pensões e a BPI Vida e Pensões com uma alocação de 958 milhões de euros e 698 milhões de euros respetivamente.

B

Data 31 dezembro
Empresas

Notícias relacionadas