Tags: Europa | EUA | Japão | Monetário |

As principais divisas em 2018


Nas perspetivas para o ano de 2018, a equipa de research do Bankinter estima que nenhuma das principais divisas (Dólar, Iene, Franco Suíço e Libra) registem uma tendência de crescimento. Do lado do Dólar e do Franco Suíço, preveem uma tendência lateral para ambas as divisas. Já do lado do Iene e da Libra, a estimativa é que estas divisas registem uma tendência de desvalorização. Mas vejamos porquê.

No que diz respeito ao Dólar, a perspetiva é que o intervalo se situe entre os 1,14 e os 1,22 a dezembro de 2018. Mantém-se, portanto, o intervalo que a entidade estabeleceu a janeiro de 2017 devido a dois factores. Em primeiro lugar porque “o maior crescimento económico nos EUA e as subidas de juros por parte da Fed deverão contribuir para uma valorização do dólar”, afirmam numa primeira instância. Por outro lado, destacam que “o aumento da dívida pública derivado da reforma fiscal de Trump e a progressiva redução dos estímulos monetários por parte do BCE irão jogar a favor do euro”, pelo que o veredicto final é que o câmbio permanecerá estável.

Quanto ao Franco Suíço, a entidade estima que o intervalo da divisa será entre os 1,15 e os 1,20. As razões para esta estimativa estão relacionadas com o facto de o SNB estar “determinado em manter uma política monetária acomodatícia para desvalorizar a moeda, que se encontra 30% acima dos níveis pré-crise (2007)”. Como tal, “a baixa volatilidade dos mercados” aliada às “taxas de juro suíças, negativas em praticamente todos os prazos, desencorajam o investimento em fracos”, adianta a entidade.

A previsão de uma tendência de desvalorização do Iene tem que ver com a expectativa da entidade em relação à manutenção da política acomodatícia por parte do BoJ, que para além de manter os juros negativos, irá estender o programa de compra de ativos, sendo que a yield das obrigações a 10 manter-se-á abaixo dos 0%. Esta dinâmica terá, assim, um impacto negativo sobre a divisa. A entidade acrescenta, ainda, que “o diferencial das taxas de juro (BoJ vs BCE/Fed) e o diferencial de crescimento do Japão em relação a outras economias (Europa e EUA) jogam igualmente contra a moeda nipónica”. Dito isto, a previsão é que o intervalo do Iene termine entre os 130 e os 140.

Por fim, do lado da Libra, o intervalo provável definido pela equipa de análise do Bankinter é entre 0,90 e 0,95. A entidade justifica esta previsão pela “deterioração da atividade económica e um orçamento voluntarioso”, que, na sua perspetiva, “atrasam a normalização da política monetária”. O Brexit é o tema central, com Theresa May a enfrentar as negociações com uma maioria parlamentar fragilizada e a zona euro a fazer pressão para que estas avancem sem contratempos. “O Reino Unido defende que se deve estabelecer um período transitório (2 anos?) que parece o cenário mais provável, embora ainda seja cedo para descartar um hard Brexit”, explica a entidade.  

Notícias relacionadas

O Mais Lido