Quatro maiores categorias nacionais representam metade do mercado


No final do ano, os fundos mobiliários nacionais geriam mais de 11.100 milhões de euros, segundo os dados publicados pela Associação Portuguesa de Fundos de Investimento, Pensões e Patrimónios - APFIPP. A nota da Associação mostra que este valor é mais baixo em mais de 7%, quando comparado com o final de 2015, o que em termos práticos reflete uma descida próxima dos 800 milhões de euros.

A Associação divide o mercado em cerca de trinta categorias, sendo que quatro delas totalizam mais de mil milhões de euros em património, fazendo com que estes segmentos representem mais de 51% do mercado. Se alargarmos o espectro para os 500 milhões de euros, então este valor abrange oito categorias.

Quais são as maiores categorias?

Das quatros categorias que superam a barreira dos mil milhões de euros, aquela que é a maior é a que junta os Fundos Multiativos Defensivos. No final do ano esta categoria era composta por uma dúzia de produtos, que no total somavam mais de 1.577 milhões de euros, com o maior fundo a ser o IMGA Prestige Conservador, que é um fundo gerido pela IM Gestão de Ativos e que ostenta dois selos Funds People: o de Blockbuster e ainda o de Consistente.

Muito perto vem a categoria que engloba os Fundos PPR. No total, esta categoria geria no final de 2016 mais de 1.537 milhões de euros, que estavam divididos por 16 fundos mobiliários. Desses fundos, os dois maiores superam a barreira dos 400 milhões de euros e são ambos geridos pela BPI Gestão de Activos. O líder é o BPI Reforma Segura PPR com 491 milhões, seguido do BPI Reforma Investimento PPR com 472 milhões de euros. Destaque, também, para ambos os produtos ostentarem o selo de Blockbuster Funds People.

As duas categorias que gerem mais de mil milhões de euros, investem em ativos que são dos mais defensivos no mundo das finanças. Com um total de 1.314 milhões de euros vem os Fundos de Curto Prazo, enquanto que com 1.278 milhões de euros surgem Fundos do Mercado Monetário. A primeira destas duas categorias é composta por nove produtos, com o Blockbuster BPI Liquidez - da BPI Gestão de Activos - a liderar com mais de 900 milhões de euros, fazendo do produto o segundo maior a nível nacional. De acordo com a Associação, nesta categoria encontramos os fundos que "investem em activos caracterizados por uma elevada liquidez. Devem ter em permanência mais de 50% da carteira investidos em valores mobiliários e depósitos bancários com prazo de vencimento residual inferior a um ano", sendo que não pode investir em ações.

Já no segmento dos Fundos do Mercado Monetário - que é composto por três fundos - encontramos o maior produto mobiliário nacional: o Caixagest Liquidez. Este Blockbuster da responsabilidade da Caixagest tinha, no final do ano passado, um património superior a 1110 milhões de euros, representando só ele cerca de 10% do mercado nacional, que é composto por 174 fundos de investimento. Esta categoria engloba os fundos "investem exclusivamente em instrumentos do mercado monetário e depósitos bancários de qualidade elevada, unidades de participação de Fundos do Mercado Monetário Curto Prazo e de Fundos do Mercado Monetário, instrumentos financeiros derivados, sendo que, no caso de instrumentos derivados cambiais, o investimento só é possível para fins de cobertura de riscos", conforme a definição presente na Associação.

Os maiores segmentos mobiliários nacionais

Captura_de_ecra__2017-02-2__a_s_16

Fonte: APFIPP no final de dezembro de 2016

Empresas

Notícias relacionadas

O Mais Lido