Tags:

"As expectativas futuras para a evolução de acções americana são moderadamente positivas"


Caixagest Acções EUA FI recebe Melhor Fundo Nacional Acções EUA Grande Capitalização. Funds People entrevista Cristina Brízido, Directora-Adjunta Caixagest - Direcção de Soluções de Investimento.

- Universo de investimento?
Ao total de empresas americanas cotadas, sensivelmente 10 000, é aplicado um primeiro filtro de capitalização bolsista, que selecciona as empresas que preenchem os requisitos de dimensão previstos no benchmark de referência do fundo (índice S&P 500), resultando num universo de investimento inicial de cerca de 700 empresas.

- Como escolhem os activos nos quais pretendem investir?
Partindo da base inicial de empresas anteriormente referida, a fase subsequente do processo de investimento foca-se na escolha, por parte da equipa de analistas, das empresas que potencialmente poderão integrar a carteira. Sobre este universo de análise mais restrito de cerca de 200 empresas é, então, realizada uma extensa análise fundamental tendo em vista seleccionar as melhores empresas dentro de cada sector de actividade. Estas empresas têm de apresentar uma boa equipa de gestão, um modelo de negócio sustentado, uma presença global e uma sólida estrutura financeira, com forte geração de fluxos de caixa e sem níveis de endividamento demasiado elevados. A análise fundamental é depois complementada com uma análise de valorização absoluta e relativa, identificando as empresas que se constituem como boas oportunidades de investimento, dados os níveis a que transaccionam no mercado. As recomendações finais das várias equipas sectoriais são depois utilizadas pelo gestor do fundo na construção da carteira final, que conta habitualmente com cerca de 80 títulos, e que terá de obedecer aos critérios previamente definidos em termos de gestão de risco.

- Qual é o tipo de abordagem feito: bottom-up , top-down ou uma mistura?
O processo de investimento do fundo está enquadrado por uma extensa análise macroeconómica, que suporta a abordagem de bottom-up de escolha de empresas. Acreditamos que conhecimento aprofundado das empresas do ponto de vista fundamental permite a construção de uma carteira com um bom desempenho em relação ao seu índice de referência em vários tipos de conjuntura económica e financeira.

- Qual é o património e composição da carteira do fundo?
Á data de final de Maio, os activos sob gestão do fundo totalizavam cerca de 56 milhões de Euros. A carteira é constituída por cerca de 80 acções de empresas americanas e encontra-se diversificada em termos sectoriais em linha com o seu benchmark de referência (índice S&P 500), onde os três maiores sectores são os de consumo não-cíclico, de tecnologia e o financeiro.

- Qual é a rotação da carteira?
O fundo apresenta um grau baixo de rotação da carteira, que é consonante com o processo de investimento acima descrito de grande peso conferido á análise fundamental na selecção dos activos.

- Quais são as vossas expectativas de rendibilidade para os próximos doze meses?
As expectativas futuras para a evolução da classe de activos de acções americana são moderadamente positivas, em resultado dos indicadores de actividade económica da região que têm vindo a ser conhecidos. Poderão continuar a ocorrer quedas ocasionais, como até aqui tem sucedido, motivadas quer pelo desenrolar dos eventos políticos e financeiros na Europa, assim como pelas variações abruptas do preço do petróleo.

- Quais podem ser as vantagens deste fundo em relação aos da concorrência e simultaneamente os pontos considerados mais fortes para este prémio?
A sistematização e coerência do processo de investimento, aliados á vasta experiência da equipa de gestão, têm originado resultados comprovados em termos de consistência de performance nos últimos cinco anos. Este é, sem dúvida, o elemento diferenciador do fundo e está patente no reconhecimento atribuído pela Morningstar que, em três dos últimos 5 anos, o elegeu como o melhor fundo nacional de acções EUA de grande capitalização.

Notícias relacionadas

O Mais Lido