As categorias de fundos que mais cresceram desde o início do ano


Restam poucas dúvidas de que o ambiente económico atual é bem mais desafiante que aquele que caracterizava o ano de 2017. Apesar das perspetivas iniciais apontarem para uma manutenção do contexto favorável, os mercados têm vindo a viver períodos mais conturbados, como foi o caso do final de fevereiro ou, mais recentemente, a segunda semana do mês de outubro. Neste contexto, olhemos para a evolução dos volumes de ativos sob gestão por parte das diferentes categorias nas quais se inserem os fundos nacionais. Refletir-se-á o ambiente dos mercados no aumento ou diminuição do valor dos ativos geridos pelas diferentes categorias? Parece que sim.

De acordo com os dados revelados pela Associação Portuguesa de Fundos de Investimento, Pensões e Património relativos ao final do mês de setembro, a categoria que mais cresceu, em termos absolutos, desde o início do ano, foi a categoria de fundos multiativos defensivos, com 233,5 milhões de euros. Já a categoria que mais cresceu, em termos percentuais, foi a categoria de outros fundos de ações internacionais, com mais 22,4%.

Captura_de_ecra__2018-10-18__a_s_10

Fonte: APFIPP 

No que diz respeito aos saldos entre subscrições e resgates registados pelas diferentes categorias desde o início do ano, a categoria de fundos multiativos defensivos volta a estar em destaque, tendo sido aquela que maior saldo de subscrições líquidas registou, com 253,7 milhões de euros. De seguida surge, precisamente, a categoria de outros fundos de ações internacionais, com 75,2 milhões de euros.

Captura_de_ecra__2018-10-18__a_s_10

Fonte: APFIPP 

Categoria de fundos de curto prazo euro mantém a liderança apesar do decréscimo em 2018

Analisando a evolução do volume de ativos sob gestão das diferentes categorias chegamos à conclusão de que a categoria de fundos de curto prazo euro, apesar da redução de 16,7% desde o início do ano, mantém-se como a categoria mais preponderante, com 2.354,4 milhões de euros – o que resulta numa quota de mercado de 19,9%. Já a categoria de fundos PPR passou de uma quota de mercado de 18,5% (resultante de 2.279,1 milhões de euros) no final de dezembro de 2017 para 19,2% (2.268,2 milhões de euros) no final de setembro de 2018. No mesmo período, a categoria de fundos multiativos defensivos viu o seu volume de ativos sob gestão ultrapassar os 2.000 milhões de euros, montante que atualmente ascende a 2.223,9 milhões de euros – o que resulta numa quota de mercado de 18,8%.

Não obstante, no que respeita ao peso das categorias globais de fundos, a categoria de fundos multiativos é aquela que apresenta maior preponderância no mercado nacional, com 27%, seguida pela categoria de fundos do mercado monetário/curto prazo, com 21,2%, e pela categoria de fundos PPR, com 19,2%. 

Captura_de_ecra__2018-10-18__a_s_10

Fonte: APFIPP 

Notícias relacionadas