As bolsas europeias vão continuar abertas


As bolsas europeias não vão fechar. Ainda que se tenha chegado a questionar nos últimos dias sobre o possível fecho das bolsas, a Federação Europeia de Bolsas, FESE, emitiu um comunicado onde afirma que “vão continuar abertas”.

Segundo a Federação, “os mercados de valores regulados cumprem uma função social e económica que deve prevalecer em tempos de incerteza”. Neste sentido, explica que nesta situação excecional gerada pelo Covid-19 é crucial que as bolsas permaneçam abertas por várias razões.

O mais importante, destacam, é que a bolsa desempenha um papel-chave ao proporcionar a formação de preços, transparência e liquidez. “Evitar que cumpram este papel terá um grande impacto não só na economia, como também na sociedade”, assinalam.

Estas funções foram postas à prova no passado, por exemplo, durante a crise financeira. Uma situação semelhante à de agora onde, consideram, as bolsas devem continuar operacionais para manter a confiança. “Os princípios que regem os membros da FESE continuam a ser a transparência e a objetividade, especialmente nestes tempos de incerteza”, contextualizam.

As bolsas deverão continuar sempre abertas para garantir segurança, integridade e equidade de forma segura e transparente. “Fechar os mercados não mudará a volatilidade do mercado, mas eliminará a transparência do sentimento dos investidores e reduzirá o acesso dos investidores ao seu dinheiro”, destacam.

Fechar representará a expansão massiva de todo o tipo de acordos bilaterais fora do mercado sem a proteção que oferece um local de negociação como a bolsa, tal e como explica a federação. Neste caso, os mais afetados serão os investidores particulares que ficarão de fora dos acordos que se podiam levar a cabo entre os investidores institucionais e só poderão ajustar as suas posições uma vez reaberto o mercado, acrescentam.

Em termos gerais, acreditam que as bolsas deverão permanecer abertas para que os investidores possam avaliar as suas carteiras e tomar decisões informadas de investimento e cobertura sob este cenário de volatilidade. O constante fluxo de notícias gera a necessidade de reequilibrar carteiras dinamicamente, apontam.

Contratualmente, também representará um desafio importante para o mercado de OTC. A não abertura dos mercados terá um impacto muito forte em todo o tipo de coberturas de risco, detalham.

Notícias relacionadas

O Mais Lido