Tags: Estilo |

As Bodas de Fígaro no Teatro Maria Matos


Com texto da autoria de Miguel Castro Caldas, a partir da peça de Beaumarchais e com ‘libreto’ de Lorenzo da Ponto, “As Bodas de Fígaro Uma Tradução” recriam um lugar “onde o teatro e a ópera se encontram e se dividem”, numa evocação de Mozart.

“Ouvir-se-á em cena, pela voz dos actores ou das personagens  [...], a música própria dos monólogos e dos diálogos e a coloquialidade das árias e dos recitativos”, como é referido na apresentação da peça, no site do Teatro Maria.

Na sua descrição diz-se que “é uma ópera quase cantada, é um Mozart que não descalça a bota, é um Da Ponte traduzido, é uma bastilha sem ninguém lhe tocar, é talvez em Sevilha, é o monólogo do Fígaro contra os privilégios e instituições que o Beaumarchais escreveu há muito tempo, é o direito à pernada, não há portas nem janelas, nem entradas, nem saídas”.

Encenada por Bruno Bravo, As Bodas de Fígaro Uma Tradução” é interpretada por nove actores e sobe ao palco na sala principal do Maria Matos, às quartas às 19 horas, de quinta-feira a sábado às 21h30, e aos domingos às 18 horas, até ao próximo dia 18 deste mês.

O Mais Lido