As áreas que as gestoras internacionais reforçaram em setembro


Após a pausa de verão, as gestoras internacionais tiveram um setembro muito ativo no que a contratações diz respeito. Revemos os movimentos menos falados do panorama internacional à procura de pistas sobre as áreas que as gestoras estão a reforçar.

Do lado do desenvolvimento de negócio, a Capital Group contratou, vinda da BlackRock, Alexandra Haggard, como diretora de produtos e serviços de investimento para a Europa e Ásia, um cargo acabado de criar. Haggard vai supervisionar a estratégia e expansão dos serviços de investimento na Europa e Ásia. Vai dirigir uma equipa de especialistas em produto que se vai encarregar do desenvolvimento de produtos e competências de investimento em toda a gama de fundos de ações, obrigações e multiativos dirigidos a clientes europeus e asiáticos.  O seu trabalho vai incluir a ampliação da linha de soluções de investimento, que vai oferecer opções multiativas destinadas a satisfazer as necessidades dos investidores, e o crescimento do Grupo de análise de clientes.

Na mesma linha, a Edmond de Rothschild AM nomeou Marie J. Cardoen como diretora global de distribuição. O movimento acontece depois de criar uma plataforma única para os ativos cotados e privados. “A sua missão consistirá em impulsionar a estratégia comercial da divisão da gestão de ativos em todas as geografias e promover todas as nossas ofertas de investimento de ativos líquidos e ilíquidos. Também ajudará a ampliar a nossa gama de investimentos socialmente responsáveis”, explicam no comunicado.

A La Française reforçou-se na área do imobiliário com a nomeação de Philippe Depoux como presidente da La Française Real Estate Managers. “Ao redirecionar a sua atividade para os ativos financeiros e imobiliários, a La Française situa os bens imóveis – que atualmente representam 50% do total dos ativos geridos – no centro da sua estratégia de desenvolvimento”, contam.

Também houve movimentos nas equipas de gestão. Na Lyxor Asset Management, Florence Barjou ascendeu a diretora de investimentos após a saída de Guillaume Lasserre.

Outra novidade é que a PIMCO tem um novo responsável de crédito privado europeu. Mathieu Clavel vai juntar-se à empresa vindo do hedge fund Sculptor Capital, e trabalhará a partir de Londres. Clavel vai desenvolver e gerir a divisão de situações especiais europeias da PIMCO, trabalhando em estreita colaboração com a equipa de gestão de carteiras da empresa nos seus grupos de estratégias tradicionais e de mercados privados para identificar e capitalizar possíveis oportunidades de investimento em mercados privados e crédito corporativo stressed e distressed.

Houve também movimentos nos mercados emergentes. A NN Investment Partners (NN IP) e a MN anunciaram que vão combinar as suas forças em dívida de mercados emergentes (EMD) mediante a transferência da equipa EMD da MN, incluindo os ativos geridos internamente (cerca de 4.000 milhões de dólares), para a NN IP. “Esta transferência permitirá à NN IP e à MN trabalharem juntas para continuar a desenvolver as suas soluções de investimento em dívida emergente com integração ESG”, contam.

Por sua vez, a Candriam contratou Galina Besedina como gestora analista de ações de mercados emergentes. Besedina, que procede da Comgest, trabalhou durante os últimos 12 anos como gestora na equipa de ações. “O seu trabalho foi decisivo para que os ativos sob gestão da estratégia de mercados emergentes da Comgest passassem de 2.000 milhões de euros para 14.000 milhões. Galina é especializada na identificação de oportunidades de investimento estratégico, no desenvolvimento de ofertas de produtos e na realização de objetivos corporativos”, afirmam na Candriam. Foi um mês ativo para a gestora, que também contratou Sara Torrecilla como nova analisa sénior para a equipa de temáticos perante o sucesso alcançado pelos seus fundos de biotecnologia e oncologia. A especialista vai contribuir para a investigação e análise de empresas para os seus fundos de saúde.

Também vimos várias aposentações. A DPAM anunciou a saída do seu diretor de investimento em ações fundamentais. Guy Lerminiaux vai entregar oficialmente as rédeas da área ao seu sucessor, Alexander Roose. Por outro lado, o papel de Leminaux como gestor principal das estratégias de ações europeias e da zona euro passará para o cogestor Koen Bosquet, CFA. Por sua vez, a Aberdeen Standard Investments notificou que Mark Redman vai substituir Peter McKellar como responsável global de mercados privados.

Empresas

Notícias relacionadas

O Mais Lido