Tags: Negócio |

As 5 reflexões de Daniel Kahneman no Amundi World Investment Forum de Paris


Tal como acontece em cada ano, a Amundi celebrou no museu do Louvre de Paris o seu Amundi World Investment Forum, que conta com a assistência de mais de 300 pessoas. Um dos convidados deste ano foi Daniel Kahneman, professor da Universidade de Princeton (Nova Jersey nos Estados Unidos), e prémio Nobel da Economia em 2002 pelas suas investigações sobre o comportamento humano, que conseguiram demonstrar que, quando as pessoas têm que adoptar decisões cruciais, não se deixam  guiar pela razão, mas sim pelas emoções, principais critérios que marcam as decisões. Em seguida, resumem-se as cinco principais ideias expressas pelo reputado economista e psicólogo durante a sua apresentação no evento.

Reflexão # 1: Preparar o cliente perante um cenário negativo nos mercados é a melhor forma de evitar a tomada de decisões erradas com os investimentos. Os testes que se fazem para saber como reagiriam perante um cenário de volatilidade não são úteis.

Reflexão # 2: Um investidor racional opera muito menos no mercado, comparativamente com um investidor normal. Os profissionais são investidores que estão mais próximos da racionalidade do que estão os investidores individuais.

Reflexão # 3: O investidor não tem uma visão global da carteira. Tende a seguir ações individuais. O investidor não deverá sentir uma preferência individual por empresas concretas. É um exemplo claro de miopia.

Reflexão # 4: A dor provocada pelo sofrimento das perdas é mais intenso do que o prazer que gera a obtenção de lucros. As pessoas comportam-se de forma assimétrica.

Reflexão # 5: A retrospectiva tem um grande efeito no nosso pensamento. No comportamento do investidor tem um efeito muito prejudicial. O arrependimento é um guia terrível para a tomada de decisões, mas é um guia que se usa de forma muito frequente.

Empresas

Notícias relacionadas