Apenas três categorias de fundos têm rendibilidade negativa a um ano


Os bons desempenhos dos mercados nos últimos tempos têm-se reflectido nos fundos de investimento mobiliários (FIM), com uma melhoria das rendibilidades de forma quase generalizada, sendo que, no final da semana passada, apenas três categorias apresentavam um retorno médio a um ano negativo.

De acordo com o resumo estatístico das rendibilidades dos FIM, divulgado pela APFIPP, entre as 25 categorias consideradas (excluindo fundos PPR e de pensões abertos) as três que registam tal desempenho são as de fundos especiais de investimento mistos (-4,10%), fundos especiais de investimento imobiliário (-4,57%) e fundos especiais de investimento flexíveis (-1,74%).

A categoria de FEI mistos inclui três fundos, sendo o que tem melhor retorno anualizado a 12 meses o Banco BIC Brasil, com 5,70%. Na categoria de FEI Imobiliários existem quatro fundos, com o Caixagest Imobiliário Internacional a apresentar o desempenho menos negativo, com -1,10%. Na categoria de FEI flexíveis, o BBVA Multiactivo Flexível regista, entre os quatro fundos  existentes, o retorno anualizado a 12 meses mais elevado, de 5,03%.

De acordo com o mesmo relatório estatístico, entre as restantes 22 categorias, as duas com melhor ´performance’ acumulam rendibilidades médias superiores a 20%. A de fundos de poupança acções lidera com 23,69%, com o melhor desempenho a pertencer ao Santander PPA (27,01%), seguindo-se a de fundos de acções nacionais, com 22,31% de rendibilidade média anualizada, categoria em que o melhor fundo, o Santander Acções Portugal, apresenta um retorno a 12 meses de 25,28%, de acordo com os dados de 22 de Fevereiro, divulgados pela APFIPP.

Empresas