Tags: Negócio |

Apenas 17% de CEO de cotadas europeias espera que Zona Euro cresça em 2013


"O crescimento na Zona Euro vai ser menos provável que dos Estados Unidos ou das economias globais em 2013", referiram os inquiridos, sendo que "apenas 17% de CEOs de empresas cotadas esperam que a Zona Euro cresça no próximo ano, enquanto 46% prevêem um crescimento nulo e 37% acreditam que irá decair", é referido no sumário executivo do documento.

O relatório foi feito com base em inquéritos a 340 CEOs de sociedades listadas nos mercados do grupo NYSE Euronext - que inclui a bolsa portuguesa -, abrangendo 26 países  e, também, a 285 proprietários de pequenas empresas nos Estados Unidos.

Reflexo "da crescente interdependência global", 68% dos CEO das cotadas europeias e cerca de metade dos empresários norte-americanos afirmam que "a saúde da Zona Euro é importante para a economia global e para o crescimento dos seus negócios". E no que concerne à situação actual da economia global, os CEO europeus são os que mostram maior preocupação, com 48% a considerarem que é mau e igual percentagem que é razoável.

Questionados sobre quais as economias ou regiões que mais vão crescer em 2013, 39% dos CEO das sociedades abertas, assim como 34% dos empresários dos EUA, "acreditam que a China irá ultrapassar todos os outros países em crescimento económico e empresarial". Os CEOs justificam esta expectativa com a dimensão do mercado doméstico e a política governamental, que consideram que irá "transformar o país numa potência económica".