Tags: Negócio |

Andante Fortissimo!


É um enorme privilégio ter um amigo que num acto da mais pura generosidade, nos diz: 'Queres vir experimentar o meu Ferrari California?'

Perante tamanho altruísmo, e mesmo que não gostasse de carros, até ficava mal não aceitar! Em primeiro lugar porque, quem me conhece, sabe que ‘respiro’ carros e em segundo, porque conduzir um Ferrari não é uma coisa que faça propriamente todos os dias!

O California é talvez, o mais 'soft' dos Ferraris, sendo mesmo visto como 'user friendly', sobretudo quando comparado com modelos mais 'hardcore' como o 458 Italia ou o novíssimo F12 Berlinetta de 730cv!

Lançado em 2009, foi o primeiro Ferrari a estrear um motor de injecção directa e uma nova caixa de 7 velocidades com dupla embraiagem. Foi também pioneiro na concepção do tecto metálico articulado o qual, apesar de 'pesar' na balança (1.780kg), tem benefícios inquestionáveis em termos de conforto e rigidez estrutural.

Conta com um V8 de 4.3 litros, debitando 460cv às 7.750rpm e um binário máximo de 485Nm às 5.000rpm, capaz de o lançar para velocidades superiores a 300km/h e rubricar uma aceleração dos 0-100 em torno dos 4.0s!

Chega de ‘estatísticas’, passemos à 'acção'!

Domingo, 8h da manhã… O Ferrari desperta com um rugido forte e grave, o suficiente para servir de despertador à vizinhança nas proximidades.

No belíssimo interior, integralmente revestido a pele, é fácil constatar que estamos na presença de um 'GT' e não de um inguiável super-desportivo radical.

O abundante equipamento presente, destina-se a tornar viagens longas num prolongado e relaxante prazer... Se for essa a disposição! Caso contrário, e em modo de 'ataque', podemos fazer o 4.3 gritar bem alto até às 8.000rpm e desfrutar da ‘sinfonia Ferrari’!


Enquanto espero que o óleo atinja a temperatura ideal, há tempo ainda para umas fotos, antecipando o início de uma experiência de condução que nos fica 'tatuada' na memória por muito tempo!

Apesar de rodar em modo 'Sport', o conforto em estradas menos boas excede as minhas expectativas! Esperava encontrar um carro mais 'saltitante' e nervoso com este ‘setup’ de suspensão.

A direcção, um pouco leve demais para o meu gosto, é de uma precisão incrível e qualquer pequeno 'input' de volante traduz-se numa resposta imediata de todo o conjunto.

 

Com o V8 a trabalhar entre as 5.000 e as 8.000rpm, o som dos 4 escapes é qualquer coisa de magistral, não se inibindo de uns quantos 'back-fires' em aliviar de acelerador ou nas trocas de caixa! E por falar em caixa, absolutamente nada a apontar à 'dual-clutch' de 7 velocidades! Com uma resposta ultra-rápida, quer nas subidas, quer nas reduções, é nestas últimas que é possível desfrutar dos 'blip' de acelerador entre mudanças, destinados a suavizar a entrada de uma mudança inferior! Soberbo.....

Estará mais ou menos implícito que tais performances obrigam os travões a ‘trabalhos forçados’. Contando com enormes discos carbo-cerâmicos, mordidos por umas colossais pinças de 6 pistões à frente e 4 pistões atrás, a garantia de uma incansável capacidade de travagem está lá, mesmo quando, e após condução bastante 'inspirada', se fica com as pastilhas a deitar fumo!


Depois temos os consumos..... mas querem mesmo saber?

Veja aqui o vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=18w-WoTJ3pk

 

O Mais Lido