Amundi Rendement Plus: a alternativa às obrigações da Amundi


O Amundi Rendement Plus é um fundo misto defensivo e, à semelhança da restante gama multiativos da Amundi, a estratégia do fundo integra-se na perspetiva de mercado da entidade. Uma perspetiva caracterizada por uma revisão em baixa das “expectativas de crescimento na sua segunda derivada”, assinala Víctor de La Morena, diretor de Investimentos da Amundi para a Península Ibérica.

A nível global, “continuamos num nível de crescimento económico acima do possível, mas enquanto nos EUA este crescimento mantém-se em forma, na Europa abrandou”. Com cerca de 70% de probabilidades, o cenário da sua estratégia é marcado por uma continuação do crescimento. Fora dessa percentagem estão os riscos que podem pôr em cima da mesa e que desenham dois cenários alternativos: o risco de uma recessão económica (20%) e o risco de uma aceleração do crescimento (10%) que ative a inflação, porque “neste período do ciclo qualquer aceleração representaria uma bolha”, acrescenta de La Morena.

Explica, também, que estão a pesar fatores sobre o mercado que prejudicam as expectativas para a Europa, mas que não são recentes, embora até agora não lhes estivessem a dar a devida importância. Fatores como o efeito de uma possível guerra comercial sobre a queda do comércio mundial e que causaria ainda mais dano à Europa do que aos EUA, cuja economia é mais fechada ao exterior. Em segundo lugar, o risco geopolítico renovado na Zona Euro e o seu impacto negativo não só na economia, como também no projeto de integração. E em terceiro lugar, a maior vulnerabilidade da Europa perante a valorização do petróleo pela sua posição claramente importadora.

E, claro, os bancos centrais. A Fed, a consolidar a sua estratégia de normalização das taxas, face ao BCE que, apesar de retirar o seu programa de compra de ativos no final do ano, não irá alterar as taxas até ao ano que vem. “A economia europeia ainda está frágil e necessita de apoio da entidade”.

Um contexto macro que exige investir de forma flexível. Assim o sustenta Amélie Derambure, Senior Multi-Asset Portfolio Manager, que nos atualiza a estratégia do fundo Amundi Rendement Plus, produto que se oferece como alternativa às obrigações nas carteiras. Categorizado como misto defensivo pela Morningstar, o fundo foi lançado em 2004, oferecendo nos últimos anos uma rentabilidade anualizada em torno dos 3% e retornos positivos em períodos rolling de três anos.

A sua filosofia de investimento parte da abordagem multiativos, da diversificação efetiva e da gestão do risco instaladas em todo o processo de investimento. “Gerir um fundo multiativo é um privilégio, pois dispõe de várias ferramentas para diversificar ou cobrir a carteira face a um risco de queda”, assinala Derambure. “Temos capacidade e flexibilidade para fazer a rotação entre ativos e estratégias para nos adaptar ao ciclo de mercado”. A forma de cobrir as carteiras não é apenas com obrigações de governos, mas também com a utilização de um leque mais amplo de ativos (divisas, crédito, ações…) em estratégias de valor relativo.

As suas fontes de receitas de rentabilidade são a exposição a ações (13% líquido no final de maio face a um nível máximo histórico de 18%) e estratégias seletivas de carry: crédito europeu e dívida periférica. Em relação a mercados emergentes, mostram-se cautelosos no curto prazo. “Esperamos por sinais que reflitam que o dólar deixará de valorizar para incorporar emergentes em carteira”, explica Derambure.

Empresas

Notícias relacionadas

Anterior 1 2 3 Siguiente

O Mais Lido