Tags: Obrigações |

Amundi Funds II – Pioneer strategic income: Alocação Dinâmica


A entidade gestora Amundi disponibilizou a seguinte informação sobre o fundo Amundi Funds II – Pioneer strategic income gerido por Jonathan Scott:

Amundi Funds II – Pioneer strategic income

Breve descrição do fundo

O Amundi Funds II – Pioneer Strategic Income Fund é um fundo obrigacionista multi-setorial que investe ao longo de uma vasta gama de setores obrigacionistas globais, incluindo investment grade core norte-americano, bem como non-investment grade significativo, países não norte-americanos e moeda, e classes de ativos de taxa variável . O fundo é comparado ao Bloomberg Barclays U.S. Universal Index.

Principais diferenças com produtos semelhantes no mercado

Forte desempenho através de uma Alocação Dinâmica: o fundo teve geralmente um bom desempenho em relação ao seu benchmark e semelhantes ao longo do tempo, beneficiando da sua abordagem ao investimento diversificada e orientada pelo valor. A abordagem flexível à alocação de ativos ajuda a ter um forte desempenho em contextos económicos, de taxas de juro e de créditos diferentes.

Exposições ao Risco Diversificadas e Fontes de Alfa: A flexibilidade em investir ao longo de uma vasta gama de classes de ativos obrigacionistas globais, incluindo non-investment grade, setores de taxas variáveis não norte-americanas, aumenta o conjunto de oportunidades e, por isso, o potencial para retornos maiores, enquanto fornece também diversificação adicional que beneficia devido a baixas correlações. O fundo tende a ser sobreponderado em setores de crédito; a Pioneer tem como competência principal a avaliação do pricing de crédito corporativo e estruturado. Além disso, o fundo é reconhecido pela 'early mover advantage' em setores não core, incluindo obrigações convertíveis, mercados emergentes, empréstimos bancários e obrigações event driven (catástrofes). A maior diversificação do fundo e exposição a setores com correlações mais baixas, contribuiu para retornos maiores, uma volatilidade menor e diminuição do risco de downside.

Captura do Downmarket Forte e Experiência de Drawdown: O fundo alcança o seu alfa através de um desempenho forte em mercados em ascensão, mas também através de uma captura menor do downmarket e um drawdown menor relativamente aos semelhantes. Em particular, o fundo desfrutou de uma forte performance em contextos de subidas de juros. O fundo limita o drawdown através de exposições a setores diversificadas e prevenção de setores em risco. Para além disso, o fundo limita riscos de downsides e evita a imparidade permanente do capital através da sua abordagem disciplinada, para limitar concentrações combinadas de emissores com uma forte investigação de crédito fundamental.

Transparência da Carteira; Baixo uso de derivados: O fundo acrescenta valor ao investir principalmente em obrigações de caixa e, em certas classes de ativos que não seriam disponibilizados a um concorrente maior. O enfoque em mercados de obrigações de caixa e o baixo uso de derivados apela aos investidores que procuram transparência nos seus investimentos. Além disso, o fundo não usa alavancagem na sua carteira.

Abordagem colaborativa: os gestores de carteiras tomam todas as decisões para a carteira aos níveis dos setores, títulos e carteiras, alinhados com as decisões de investimento com objetivos específicos da carteira e tolerâncias de risco. (Aos gestores de carteiras setoriais também lhes é permitido tomar decisões específicas de títulos, dentro de uma indústria em específico e parâmetros de risco especificados por gestores de carteiras). Em particular, a carteira personaliza as exposições de risco de non-investment grade ao perfil de risco no geral da estratégia, por exemplo, focando-se em high yield BB e B e evitando exposições CCC.

Equipas de gestão de carteiras e setoriais com experiência: A abordagem baseada em value do fundo beneficia das perspetivas da equipa experiente do fundo de gestores de carteiras e especialistas em setores, que têm um grande conhecimento de valor relativo ao longo de uma vasta gama de classes de ativos de obrigações.

Objetivo de investimento (retorno e volatilidade esperados)

O fundo pretende maximizar retornos totais e ultrapassar significativamente o seu índice, enquanto fornece uma volatilidade parecida ao benchmark e controla o risco de downside, através de um investimento dinâmico ao longo de uma gama diversificada de classes de ativos obrigacionistas globais e de divisas. Esta estratégia pode servir como uma alocação core obrigacionista do investidor, mas pode oferecer um retorno maior possível com o seu conjunto de oportunidades, com uma volatilidade semelhante àquela da carteira core, devido aos benefícios de diversificação de classes de ativos com baixa correlação. O Pioneer Strategic Income Fund segue uma abordagem de investimento ativa e orientada para o value, acrescentado valor principalmente através de uma alocação dinâmica de ativos e seleção de títulos.

Metas de desempenho durante um ciclo de mercado:

Volatilidade Total:  4%-5%, semelhante ao BBG Barclays US Universal Index

Retorno em excesso: 1,5% a 2%

Tracking Error: 2% a 4%

 

Restrições de investimento

1

 

Intervalos de duração

+/- 2 anos relativos ao Bloomberg Barclays US Universal Index

 

Benchmark e tracking error

2% a 4% anualizados relativos ao Bloomberg Barclays Us Universal Index

 

Número de títulos e rotatividade

Número total de títulos: 1.171

Rotatividade: Intervalo normal de 40-60% anuais

 

Política de risco

A nossa definição principal de risco em relação às nossas carteiras de obrigações é o risco de downside. Procuramos proteger os nossos investidores do enfraquecimento permanente de capital. A nossa filosofia de investimento value subjaz todas as decisões de investimento; voltamos sempre à mesma pergunta: “Estamos a ser compensados pelo risco?” Construimos carteiras com um enfoque absoluto bem como benchmark relative, com uma ênfase especial em proteção contra o downside. Neste contexto, monitorizamos constantemente o crédito (incluindo setores/indústrias, qualidade e emissores), taxas de juro, risco de país e a interação e novas correlações entre estes riscos.

 

Política de liquidez

Procuramos sempre investir em títulos líquidos e limitar investimentos ilíquidos a 10% da estratégia.

 

Cobertura cambial

Utilizamos forwards cambiais para cobrir o risco cambial ou para estabelecer posições na moeda, onde pensamos que o forward oferece o risco/recompensa mais apelativo e liquidez superior relativa a uma obrigação de caixa.

 

Uso de derivados

O fundo não utiliza alavancagem. O enfoque do fundo em mercados de obrigações de caixa e baixo uso de derivados apela aos investidores que procuram transparência nos seus investimentos. Usamos derivados como meios mais eficientes de alcançar exposições de risco desejadas; por exemplo, usamos futuros de tesouraria para estabelecer exposição num mercado que não tem uma alternativa de obrigação de caixa líquida ou apelativa.

Empresas

Notícias relacionadas

Anterior 1 2 Siguiente

O Mais Lido