Amundi Funds II – Euroland Equity: Tirar partido das diferentes tendências de mercado


A entidade gestora Amundi disponibilizou a seguinte informação sobre o fundo Amundi Funds II – Euroland Equity classificado com o selo Blockbuster pela Funds People, gerido por Lorenzo Angelini:

Amundi Funds II – Euroland Equity

Breve descrição do fundo

- O Amundi Funds II – Euroland Equity adota uma abordagem de alta convicção, que acreditamos maximizar o valor do processo de investimento orientado pela research.

- Sendo um fundo concentrado, a seleção de ações centra-se numa preferência por empresas caracterizadas por uma valorização de alta qualidade e atrativa e um forte potencial de crescimento.

- O fundo é claramente construído/estruturado em torno de um conjunto de títulos core complementados por um elemento oportunístico mais satélite para tirar partido de diferentes tendências de mercado de mais curto-prazo.

 

Principais diferenças com produtos semelhantes no mercado

O fundo tem sido gerido como uma carteira concentrada focada na Zona Euro. Quando o Gestor de Carteiras começou a gerir as carteiras em 2007 introduziu uma abordagem oportunística e core. A maior parte das carteiras é feita do que consideramos ser títulos core. Estes títulos são caracterizados normalmente, por uma oportunidade de vantagem competitiva estratégica, de potencial de crescimento e de clara valorização. Uma parte mais pequena da carteira é feita daquilo a que chamamos títulos oportunísticos. Estes são títulos que nos permitem tirar partido de uma dinâmica de mercado de mais curto-prazo ou para capturar uma história idiossincrática e de reestruturação.

 

Abordagem de investimento: top-down/bottom-up, value/growth/blend, fundamental/quant…

A abordagem é impulsionada pelo bottom-up e research. O processo de investimento é baseado na crença de que uma abordagem bottom-up à seleção de ações é crucial para um desempenho ajustado ao risco consistente. Acreditamos que, enquanto os preços das ações podem ser voláteis no curto-prazo, a avaliação do preço de ações de uma empresa no longo do longo-prazo é, em última instância, impulsionado pelos fundamentais subjacentes da empresa. Assim, acreditamos que a seleção de ações é essencial para uma outperformance a longo-prazo.

 

Restrições de investimento

O fundo investe pelo menos 75% dos seus ativos em ações de empresas domiciliadas em, ou fazem a maior parte dos seus negócios em estados-membros da UE, que usam o euro como a sua moeda nacional - o fundo pode investir até 10% dos seus ativos em outras UCIs e UCITs. O fundo pode usar derivados para reduzir vários riscos ou para uma gestão eficiente do portfolio.

Embora o fundo seja desenhado para permitir ao Gestor de Carteiras ultrapassar o benchmark através da toma de posições significativamente sobreponderadas, o fundo é sujeito a alguns limites internos. Em termos práticos, estes parâmetros colocam algumas limitações sobre o Gestor de Carteiras, uma vez que ao Gestor de Carteiras é-lhe permitido a flexibilidade para ir para uma ponderação zero na maior parte dos setores. As ponderações por países não têm limites específicos para o fundo, embora o Gestor de Carteiras monitorize as ponderações por países no contexto de gestão de risco.

 

1

Benchmark e tracking error

O benchmark para o fundo é o MSCI MEU (União Económica e Monetária europeia) Index – (retorno total) e tem-o sido desde a origem do fundo em julho de 2000. O MSCI EMU Index é um índice baseado em indústrias, que serve como um indicador de um universo que se pode investir de possíveis candidatos para a inclusão do fundo. O fundo usa o benchmark principalmente como uma ferramenta de medida de desempenho e retém a flexibilidade para o fundo para investir em posições off-benchmark. O benchmark, enquanto nos fornece um conjunto de oportunidades de investimento, não é uma representação do nosso possível universo de investimento total.

Intervalo de Tracking Error 2%-6%

23

 

Número de títulos e rotatividade

Uma carteira concentrada igualmente ponderada com o número de títulos que vão dos 35 aos 45 títulos

Rotatividade: 105% para os últimos 12 meses anualizados, que acabam no dia 31 de abril de 2018 anualizados

 

Política de risco

4

5

O que significa esse indicador?

O indicador de risco acima avalia o potencial risco e recompensa e baseia-se na volatilidade de médio-prazo. Dados históricos, tal como os usados para calcular este indicador sintético, podem não ser uma indicação de confiança do futuro perfil de risco do fundo. A categoria mais baixa não significa um investimento livre de risco. O indicador de risco do fundo não é garantido e pode mudar ao longo do tempo. A categoria de risco do fundo reflete o facto de que como uma classe de ativo, as ações tendem a ser mais voláteis do que os títulos de mercado monetário ou de obrigações. Para classes de divisas não cobertas, os movimentos de taxas cambiais podem afetar o indicador de risco onde as moedas dos investimentos subjacentes diferem da moeda da classe de unidade.

Riscos essenciais adicionais:

O indicador de risco reflete as condições de mercado dos anos mais recentes e pode não capturar adequadamente os seguintes riscos essenciais adicionais do fundo:

Risco de liquidez: Em condições adversas de mercado, os títulos que são líquidos podem tornar-se difíceis de valorizar, vender ou comprar, o que pode afetar a capacidade do fundo em processar os pedidos de resgate.

Risco operacional: Podem ocorrer perdas devido a erro humano ou omissão, erros de processo, disrupções de sistema ou acontecimentos externos.

Risco de derivados: Os derivados criam alavancagem no fundo e podem causar movimentos na valorização dos investimentos subjacentes para expandir ganhos ou perdas para o fundo.

 

Política de liquidez

Dado o nosso enfoque predominante na área large-cap do mercado não temos preocupações de liquidez dentro do portfolio. Baseado nas nossas análises internas, prevemos que consigamos liquidar >90% do portfolio em 4 dias sob condições normais de mercado (baseado em suposições conservadoras).

 

Cobertura cambial

Normalmente não fazemos a cobertura cambial, dada a natureza internacional dos modelos de negócios que temos. No entanto, mantemos a flexibilidade para cobrir se acharmos prudente.

 

Uso de derivados

Dentro do fundo, o Gestor de Carteiras retém a flexibilidade para investir em derivados, principalmente através de futuros do mercado e setores.

O fundo implementa futuros que têm como objetivo:

- Gerir liquidez

- Gerir o beta geral do fundo

- Expressar perspetivas de investimento

- Reduzir bets relativos desnecessários

- Fins de cobertura

Empresas

Notícias relacionadas

Anterior 1 2 Siguiente