Amundi Funds – Euro Aggregate Bond: Perfil de risco/retorno atrativo


A entidade gestora Amundi disponibilizou a seguinte informação sobre o fundo Amundi Funds – Euro Aggregate Bond, classificado com o selo Blockbuster pela Funds People, gerido por Richard Casey:

Amundi Funds – Euro Aggregate Bond

Breve descrição do fundo

O Amundi Funds Bond Euro Aggregate é um fundo obrigacionista flexível que combina perspetivas macroeconómicas de longo prazo com perspetivas táticas de curto prazo, dentro de um universo composto principalmente por obrigações europeias com uma diversificação alvo para divisas, obrigações globais, high yield e obrigações convertíveis. O fundo tem como objetivo gerar retornos acima do seu benchmark durante um ciclo completo e capitalizar na divergência entre os fundamentais da economia e de empresas e valorizações de mercado.

O fundo toma posições ativas para beneficiar de movimentos de taxas de juro e spreads de crédito. Para isso, a equipa gere ativamente a duração do fundo, a posição da curva, a alocação por países, taxas de inflação implícitas e alocação de crédito.

 

Principais diferenças entre produtos semelhantes no mercado

O Amundi Funds Bond Euro Aggregate, ao contrário de muitos fundos concorrentes, consegue diversificar para além do seu universo core (obrigações IG denominadas em euros) ao investir até 33% dos seus ativos em obrigações convertíveis, high yield, forex, inflação e obrigações globais. Assim, o fundo tem um perfil de risco/retorno atrativo, devido a uma diversificação melhorada e orientada.

 

Objetivo de investimento 

O Amundi Funds Bond Euro Aggregate procura maximizar o seu retorno total e tem como objetivo ultrapassar o seu benchmark, o Bloomberg Barclays Euro Aggregate TR, num um horizonte mínimo recomendado de investimento de 3 anos.

 

Restrições de investimento:

- Qualidade dos emissores

Principalmente Investment Grade, embora o fundo possa investir até 33% em títulos de High Yield

- Geográficas

Principalmente Zona Euro, embora o fundo também possa investir até 33% dos seus ativos em emissores que não sejam europeus

-Setoriais

O fundo não tem restrições formais em termos de alocação por setor. A alocação por setores é unicamente orientada pelo grau de convicção, que se traduz num orçamento de risco (ex. duração do spread temporal, uma medida de risco de crédito).

O universo do benchmark do fundo é composto por 60% de obrigações governamentais europeias, 25% de proxies (obrigações cobertas, agências e supranacionais) e 17% de obrigações corporativas IG. O fundo pode sobreponderar ou subponderar todos os tipos de emissor ou setor, dependendo das nossas perspetivas e oportunidades de valor relativo.

 

Intervalos de duração 

O fundo não tem limites formais em termos de duração (absoluto ou relativo ao seu benchmark).

Durante os últimos dois anos, a duração média do fundo foi de 5,9 anos. Em termos relativos, mantivemos uma posição curta ao longo desse tempo (-0,7 anos relativo ao benchmark).

 

Benchmark e tracking error

Benchmark: Bloomberg Barclays Euro Aggregate TR. O fundo não opera sob uma restrição de tracking error. O seu orçamento de risco é expresso em termos de duração modificada vs o benchmark (perspetivas sobre a duração, curva e inflação) e duration X spread (alocação por países, swap spread e crédito).

 

Número de títulos e rotatividade

O fundo procura manter um nível elevado de diversificação, com 200 a 300 nomes. A sua rotatividade média é de 200%1.

 

Política de risco

Avaliamos riscos específicos ativos, utilizando rácios de risco complementares: peso do valor de mercado em percentagem, duração modificada, duration X spread. Isto permite-nos ter em conta e monitorizar ambos o risco de jump-to-default e o intervalo de volatilidade. Tem em conta não só o risco mas também o verdadeiro tamanho das carteiras. A equipa de gestão da carteira revê constantemente a posição das carteiras, a fim de prevenir uma dispersão material.

 

1. A equipa de gestão das carteiras também tem a primeira linha de responsabilidade para assegurar que o mandato não está a infringir nenhumas restrições específicas de clientes.

2. A Linha de Risco de Negócio composta por 150 pessoas fornece o segundo nível de controlo de risco independente.

 

Política de Liquidez

O fundo investe unicamente nas maiores obrigações líquidas e derivados. Não investimos em posicionamentos privados ou produtos estruturados.

Posto isto, após a grande crise financeira, implementámos alguns indicadores de liquidez, integrados no nosso sistema de gestão de carteiras. Embora estejamos conscientes que uma crise de liquidez grave se possa desenvolver numa questão de dias, o indicador dá uma medida clara e objetiva para monitorizar a liquidez das carteiras. Os indicadores de liquidez permitem ao Controlo de Risco medir o custo de liquidação (impacto na performance) e atraso de liquidação de carteiras.

As características de cada instrumento de todos os portfolios são fornecidas pela mesa de negociações, que tem uma visibilidade clara das condições de mercado em termos de liquidez, dependendo da classe de ativos, setores, avaliações, tamanho das dívidas, antiguidade, etc.

 

Cobertura cambial

Todas as exposições obrigacionistas não europeias são sistematicamente cobertas em euros usando swaps de divisas.

 

Uso de derivados

O fundo usa derivados para:

- cobrir o risco de taxas de juro (principalmente duração modificada e curva de yields)

- tomar uma posição numa parte do swap spread (notas de swap), numa duração modificada ou numa curva de yield e numa convexidade através do uso de opções (ferramentas de gama), quando permitido

- tomar uma posição num emisor (longa ou curta) ou implementar algumas arbitragens de emissor através do uso de CDS (Credit Default Swap)

- gerir a exposição de risco de crédito sistemático com índices de derivados de crédito

O fundo calcula todas as exposições derivadas como se fossem investimentos diretos em posições subjacentes. Isto permite ao fundo incluir os efeitos de todas as coberturas ou posições compensatórias, bem como posições tomadas para uma gestão de carteiras eficiente. O fundo tem de assegurar que a sua exposição ao mercado geral de compromissos de derivados não excede 210% do total dos ativos (100% de investimento direto, 100% de derivados e 10% de empréstimos).

Historicamente, o compromisso do fundo através de derivados tem sido mantido entre os 10% e os 30%.

 

[1] compras + vendas / 2* ativos líquidos

Empresas

Notícias relacionadas

O Mais Lido