Tags: Negócio |

Amundi Funds Equity Europe Conservative: Análise do risco para gerar retornos


O Amundi Funds Equity Europe Conservative é gerido sob a filosofia de que a melhor forma de gerar uma rentabilidade superior de forma consistente no longo prazo é com a gestão do risco. Por isso, Melchior Dechelette, responsável de soluções de risco eficientes evita riscos não compensados com o objetivo de reduzir a exposição a correções de curto prazo do mercado.

A equipa de soluções Conservative da Amundi entende o risco como um conceito multifacetado, que engloba múltiplos aspetos e ao qual só se pode fazer frente de maneira adequada através de um processo de construção de carteiras disciplinado e científico.

O processo de investimento do Europe Conservative Equity combina a análise quantitativa e qualitativa para selecionar as ações e criar uma carteira com o perfil de retorno ao risco mais eficiente. Procuram identificar e abordar um largo espectro de riscos, desde os bottom-up (volatilidade, correlação, riscos específicos de ações como os riscos fundamentais ou ESG, liquidez...) até riscos top-down (risco de país, sensibilidade à taxa de juro, FX, etc.).

A equipa gestora não se centra em expor os retornos esperados já que considera que são notoriamente difíceis de prever. Pelo contrário, optam por analisar sistematicamente o perfil de risco das empresas e a carteira para suprimir qualquer risco que considerem que é recompensado adequadamente. A carteira resultante costuma estar exposta a empresas de baixa volatilidade, baixo beta e qualidade.

Atualização do posicionamento

A construção da carteira foi desenhada para alcançar um perfil de qualidade e baixa volatilidade com altas propriedades de diversificação ao longo do tempo.

Por isso, a alocação por sectores é mais um resultado do processo de investimento e não se espera que seja desafiado segundo a configuração do mercado. Dito isto, alguns sectores têm um sobrepeso estrutural (consumo básico, utilities, saúde e industriais), enquanto outros estão subponderados estruturalmente (tecnologias de informação, materiais e energia) para apoiar o rendimento e o perfil da estratégia.

Empresas

Notícias relacionadas