Tags: Obrigações | Ações |

Alocação: como se saiu a categoria em 2018?


A análise aos fundos de alocação mais rentáveis em 2018 pode dizer-se que conta a mesma história da análise feita aos fundos de ações e de obrigações, ou seja, damos-lhe conta de mais um reporte de quedas nos produtos que a Morningstar Direct define dentro da categoria Allocation.

Tal como já tinha acontecido nos fundos de obrigações, também nos de alocação há que fazer uma menção especial ao produto que figura como mais rentável no passado. Os dados da Morningstar Direct, de final de dezembro, atribuem ao fundo EuroBic Brasil um retorno de 5,39%. O fundo gerido pela Dunas Capital, cuja moeda base é o dólar norte-americano, viu a sua performance beneficiar, naturalmente, da escalada vivida pela moeda em 2018. Recorde-se que no ano de 2018 o dólar valorizou quase 6% face ao euro.

Por via desta especificidade, este foi o único fundo da categoria a apresentar um retorno positivo no período. Como visível no quadro abaixo, o controlo de perdas por parte dos restantes fundos foi uma tarefa complicada.

Como se pode verificar nos dados, os fundos NB PPR e o BPI Brasil, respetivamente a cargo da GNB Gestão de Activos e da BPI Gestão de Activos, foram os dois produtos que conseguiram controlar melhor as perdas, registando um retorno anualizado de -0,51% e de -0,92%, respetivamente.

Melhores retornos na categoria de allocation em 2018

Captura_de_ecra__2019-01-09__a_s_16
Fonte: Morningstar Direct, 31 de dezembro 2018
Empresas

Notícias relacionadas