Ageas Pensões reforça a liderança na quota de mercado para 27,4% em 2019


O ano de 2019 foi de crescimento e consolidação para a Ageas Pensões. No relatório de gestão referente ao ano passado, a entidade gestora de fundos de pensões do Grupo Ageas revela que terminou o ano com um resultado líquido do exercício no valor de 4,2 milhões de euros, o que representa "um ligeiro crescimento de 2,5% face a 2018, dado que o crescimento dos proveitos foi quase integralmente absorvido pelo crescimento dos custos"

Também os proveitos decorrentes da prestação de serviços atingiram o valor de 11,1 milhões de euros,  representando um incremento de 6,6% face a 2018. O total dos custos ficou em 5,7 milhões de euros, crescendo 11% face a 2018, "em resultado do custo associado ao investimento em reforço da capacidade, mas também em resultado do aumento dos custos dos serviços partilhados", justificam no documento.

1

Liderança reforçada

No final de 2019 a Ageas Pensões detinha 5,9 mil milhões de euros em ativos sob gestão, que simbolizava um aumento de 14,7% face ao ano anterior. Segundo a entidade, este valor é "superior à média do mercado, que se situou nos 12,1%, o que permitiu reforçar a posição face aos mais diretos concorrentes". Assim, a companhia vê reforçada a sua posição de liderança no mercado de fundos de pensões, fruto de um incremento de 0,6 pontos percentuais na quota de mercado, com esta a passar de 26,8% para 27,4%. No caso concreto do conjunto dos fundos de pensões abertos, o volume de ativos sob gestão ascendia a 340,5 milhões de euros, somando um crescimento de 50,9%.

2

No que toca à performance dos fundos de pensões, a generalidade dos instrumentos geridos pela Ageas Pensões revelou um retorno positivo, "tendo-se situado a rendibilidade média ponderada de todos os fundos de pensões geridos em 8,6%, valor que compara com uma rendibilidade média de mercado 8,2%, considerando um survey da Willis Towers Watson". A rendibilidade média ponderada dos fundos de pensões abertos situou-se em 7,3%.

3

Em termos de contribuições e transferências recebidas nos fundos de pensões da entidade, registou-se em 2019 o valor de 632 milhões de euros, que representa um crescimento de 247% face ao valor de 2018. No relatório indicam que "para este valor contribuíram de forma significativa as contribuições de fundos e planos de pensões resultantes da redução da taxa de juro, mas também o valor das contribuições para pensões flexíveis com um valor de 59,3 milhões de euros". A evolução dos fluxos de entrada e saída que resultaram num saldo positivo de 763,9 milhões de euros no total de ativos sob gestão e que representam um crescimento de 456% face à variação registada em 2018.

Planos privados e PPR seguem tendência ascendente

Em termos de atividade comercial na área dos benefícios para empresas, a Ageas Pensões concretizou 10 novos negócios em 2019, cujo valor de contribuições iniciais se situou em 19,4 milhões de euros. Entre os 26 fundos de pensões fechados o total dos ativos sob gestão totalizou 5,6 mil milhões de euros, "que corresponde um aumento de 13,1%, valor acima da média de mercado que se situou em 12,1%", apresentam.

No que diz respeito aos fundos PPR, o valor sob gestão no final de 2019 situou-se em 28,7 milhões de euros, que traduz um aumento de 4% face ao ano anterior. Segundo a entidade, este incremento é "integralmente justificado pela valorização dos fundos, com um valor médio de 6,4%".

4

Investimento responsável premiado

Também em 2019 os fundos de pensões abertos da Ageas Pensões foram distinguidos no eixo da "Responsabilidade Social", com uma Menção Honrosa atribuída pela Associação Portuguesa de Ética Empresarial (APEE), e ainda na vertente de “Mercado”, pelas práticas de Investimento Responsável. A fechar o ano, a entidade recebeu pela terceira vez consecutiva e pela quarta vez o IPE Award de melhor entidade gestora de Portugal.

"De entre as várias entidades gestoras nacionais que se apresentaram a concurso, a escolha do Júri da IPE recaiu pela Ageas Pensões, reforçando não só os bons resultados e rendibilidade, como as iniciativas inovadoras em que temos sido pioneiros como: a classificação Investimento Responsável / ESG, sendo um dos primeiros signatários dos Princípios de Investimento Responsável (UN PRI) em Portugal e o desenvolvimento das Pensões Flexíveis", justificam no relatório.

Ageas Pensões não esquece a pandemia

A entidade fecha o relatório de gestão com uma profecia inevitável: "o ano de 2020 ficará indubitavelmente marcado pela pandemia provocada pela COVID-19". "Os efeitos da incerteza e da volatilidade dos mercados terão uma magnitude imprevisível, traduzindo-se num aumento dos prémios de risco, transversal a toda a tipologia de ativos, ações, obrigações ou imobiliário, com impacto em termos de imparidades", enquadram. Contudo, como seria de esperar de uma entidade inserida num grupo segurador, a Ageas Pensões afirma estar consciente destes riscos, mantendo um olho atento sobre os mesmos. "Teremos a curto prazo uma redução do património dos fundos de pensões com possíveis impactos, tanto em termos de níveis de financiamento como de liquidez e riscos que a Ageas Pensões irá monitorar de perto", afirmam.

Empresas

Notícias relacionadas

O Mais Lido