Tags: Negócio |

“Admito que as taxas baixas se mantenham por mais algum tempo”


Na manhã desta quarta-feira, dia 20 de abril, o Estado português voltou aos mercados e emitiu duas linhas de Bilhetes do Tesouro num total de 1.100 milhões de euros. No prazo mais curto – a três meses – foram emitidos 300 milhões de euros a uma taxa negativa de 0,004%, com a procura a superar a oferta em 2,57 vezes. Já no prazo mais alargado – a onze meses – o montante colocado foi de 800 milhões de euros a uma taxa de 0,037%. Nesta linha a procura superou a oferta em 1,41 vezes.

“Portugal conseguiu, mais uma vez, emitir com taxas muito baixas, próximas dos mínimos históricos, com a dívida do prazo mais curto a renovar uma taxas negativa. Os planos de estímulo do BCE, em particular a compra de dívida soberana, continua a beneficiar largamente o preço a que Portugal se endivida. Apesar de estarem a níveis muito baixos, admito que as taxas baixas se mantenham por mais algum tempo”, referiu Filipe Silva, diretor da Gestão de Ativos do Banco Carregosa.

 

Profissionais
Empresas