AB - International Health Care Portfolio: Contornar o risco cíclico


Costuma-se dizer que o setor da saúde é um setor anticíclico, mas a verdade é que nesta área defensiva também existem valores mais expostos ao ciclo económico. Um dos objetivos deste fundo da Alliance Bernstein é tentar limitar esse efeito do ciclo de mercado na composição de seu portfólio. "Tentamos adotar uma abordagem anticíclica; portanto, quando os mercados sobem, geralmente procuramos reduzir a nossa exposição e reduzir riscos e, quando os mercados caem, procuramos seletivamente oportunidades de investimento atrativas para aumentar o risco ou atualizar o portfólio", afirmam os seus gestores, Vinay Thapar e John Fogarty. Nos últimos três anos, o fundo alcançou um retorno anualizado de 12%, de acordo com dados da Morningstar.

E, para isso, tentam selecionar as empresas que se apresentam com um bom negócio, prestando especial atenção às que geram elevados retornos de capital ou tendem a melhorar essas métricas, e uma forte taxa de reinvestimento. Atualmente, entre estas empresas propensas a fornecer uma rentabilidade adicional ao portefólio, estão aquelas focadas em diagnóstico, tecnologia ou robótica aplicada aos campos da saúde. De fato, estão convencidos de que, à medida que a crise induzida pelo coronavírus ocorrer, haverá claras oportunidades de compra. "Em alguns casos, aumentámos a nossa exposição a determinadas empresas e, noutros casos, iniciámos novas posições devido à correção de preços, a par com uma visão positiva da empresa de um ponto de vista fundamental a longo prazo", afirmam os seus gestores.

Quanto aos riscos, não estão tão preocupados com fatores externos como com os internos de cada empresa. “Criamos o portefólio para garantir que o risco específico ao selecionar empresas seja o maior contribuinte para o nosso orçamento de risco. Assim, fatores como alavancagem ou beta, aos quais o portefólio tem menos exposição, representam o maior risco para o poretfólio", afirmam.

Profissionais
Empresas

Notícias relacionadas