Tags: Negócio |

‘A guerra dos litros…’


Para quem procura um veículo de características marcadamente familiares, devo confessar-vos que a nova Honda Civic Tourer chega ao mercado com um conjunto de credenciais dignas de respeito: 624 litros de espaço para bagagem, extensíveis até 1668 litros com os bancos rebatidos!

Para melhor terem uma perspectiva do quanto grande é a bagageira, posso dizer-vos que a nova Mercedes E Station, com mais 40cm de comprimento, não ultrapassa os 600 litros.

Não só o número impressiona, como o próprio impacto visual vindo do público que nos vê abrir a mala, nos assegura que na hora de ‘carregar tralha’, a nova Tourer é uma escolha mais do que sensata!

A versão Lifestyle 1.6i-DTEC que tive oportunidade de conduzir, conta com uma lista de equipamento bastante extensa, alinhando (por cima) o seu preço de 29.300€ com a concorrência. Pormenores como cruise control, AC automático ou câmara de auxílio ao estacionamento fazem parte do ‘recheio’ de série.

O motor 1.6i-DTEC que equipava esta Civic, serviu para consolidar a boa impressão que venho criando com outros modelos da marca que tenho tido oportunidade de ensaiar. Os 120cv e os 300Nm de binário são disponibilizados de forma suave, silenciosa e pronta, sendo números mais do que suficientes para garantir um bom nível de andamento sem que isso peça demasiado na hora de gastar. A título de exemplo, em velocidade estabilizada em AE, é possível ver o completo computador de bordo registar consumos inferiores a 5.0ltrs/100. Ainda assim, contamos com uma velocidade máxima de 195km/h e uma capacidade de aceleração de 0-100 em 10.5s.

Num modelo cuja estética não reúne consensos, sendo um claro exemplo de ‘ou se ama, ou se detesta’, fiquei agradavelmente surpreendido com a elegância que esta nova Tourer causa ao vivo. Se até ao pilar B nada difere do modelo de 5 portas, é deste para trás que se dá início a um exercício de estilo que, na minha opinião, culminou num design final bastante feliz.

Os elogios à passagem, ou quando imobilizada, só vieram confirmar a minha percepção de que esta carrinha está num plano estético que a diferencia (para melhor) da concorrência.

A Honda vem-nos habituando com interiores bem construídos e com boa escolha de materiais, o que nem sempre quer dizer que sejam alegres ou joviais. Apesar de algum ‘cinzentismo’ tipicamente japonês, e mesmo calçando jantes de 17 polegadas, a robustez do conjunto fica provada perante a ausência de ruídos parasitas, mesmo em pisos mais degradados.

O Civic Tourer, é o primeiro automóvel de produção do mundo a ser equipado com um sistema de suspensão traseira adaptável, permitindo de forma automática e instantânea, que a suspensão se ‘ajuste’ às condições de condução no momento. Se por um lado ganhamos conforto numa tirada de AE, por outro garantimos uma maior agilidade e firmeza quando praticamos uma condução um pouco mais, digamos, empenhada! O sistema contempla 3 posições; Confort, Normal e Dinâmico.

Uma excelente proposta nas carrinhas do segmento médio, com uma estética ‘fora do baralho’, sem descurar a economia e a fiabilidade japonesa. Mais mala do que espaço habitável e com um interior mais robusto do que belo.

Eu gosto!