Tags: Alternativos |

A evolução nos segmentos imobiliários no primeiro semestre do ano


O segmento dos fundos imobiliários tem sofrido algumas quedas ao longo dos últimos tempos. No passado mais recente, em junho, as sociedades gestoras que são associadas da Associação Portuguesa de Fundos de Investimento, Pensões e Patrimónios – APFIPP -, geriam um total superior a 9.650 milhões de euros, menos 0,5% do que registado no final do mês de maio. A mesma tendência foi sentida no património imobiliário, que também decresceu 0,5% para um total de 10.705 milhões de euros.

Estes valores são divulgados pelas gestoras que se encontram associadas na APFIPP e que no final de junho representavam 89,31% do mercado total nacional, segundo os últimos cálculos da CMVM.

Fechados dominam

Dos mais de 9.650 milhões de euros, pouco mais de metade está aplicada em fundos fechados. Segundo a APFIPP os fundos fechados representam 50,2% do mercado, com um total que ultrapassa os 4.848 milhões de euros. Neste segmento o maior produto, segundo a APFIPP, é o Fimes Oriente da Gesfimo, com um valor em carteira superior a 276 milhões de euros.

Com 2 mil milhões de euros surge a segunda maior categoria. Trata-se do segmento que junta os fundos abertos de acumulação e que representava, no final de junho, mais de 20% do mercado nacional. O maior produto desta categoria é o CA Património Crescente que é gerido pela Square Asset Management. Nos últimos cinco anos foi eleito o fundo com melhor portefólio imobiliário nos IPD European Property Investment Awards. Este produto é um Blockbuster Funds People, e tinha no final do primeiro semestre do ano mais de 335 milhões de euros.

Logo de seguinte vem a categoria que junta os fundos abertos de rendimento, com um total que fica perto dos 1.500 milhões de euros. Nesta categoria o maior fundo é o Fundimo, que é também o maior produto nacional. Gerido pela Fundger, no final de junho geria uma carteira com um valor superior a 562 milhões de euros.

Existe, ainda, mais uma categoria que supera os 600 milhões de euros. Trata-se do segmento que engloba os Fundos de Investimento Imobiliário para o Arrendamento Habitacional. No final de junho o seu património acumulado superava os 657 milhões de euros e o seu maior produto era o Caixa Arrendamento que é gerido pela Fundger, com mais de 113 milhões de euros.

Destaque, também, para os Fundos de Gestão de Património Imobiliário – FUNGEPI – que geriam, no final do mês passado, mais de 550 milhões de euros. Aqui o maior produto é Novo Banco II que é da responsabilidade da GNB Gestão de Ativos, com mais de 196 milhões de euros.

As categorias dos fundos imobiliários

Categoria Valor em carteira*
Fechados  4 848,4 €
Aberto Acumulação  2 000,5 €
Aberto Rendimento  1 477,7 €
FIIAH's  657,0 €
FUNGEPI  569,2 €
Florestais  53,7 €
Reabilitação  44,4 €

Fonte: APIFPP no final de junho. *valor em milhões de euros.

Empresas

Notícias relacionadas

O Mais Lido