“A dívida emergente pode dar yields entre 7% e 8% a 5 anos"


(TRIBUNA de Elena Villalba, diretora geral da Mirabaud Asset Management para a Península Ibérica e América Latina. Comentário patrocinado pela Mirabaud Asset Management.)

Num momento em que os Mercados Emergente se veem empurrados por um vento favorável, Elena Villalba revela os pontos chave com os quais trabalham na Mirabaud Asset Management para esta área. À sólida especialização, ao elevado controlo de riscos e à visão a longo prazo que sempre caracterizou a entidade, junta-se uma nova estratégia com possibilidades interessantes.

Como é que a Mirabaud Asset Management vê o atual momento dos mercados emergentes?

Pensamos que é um momento realmente bom. Os rendimentos da dívida soberana são, agora, os mais elevados constatados para este tipo de ativos desde o fim da crise financeira mundial. Além disso, as economias emergentes gozam de perspetivas de crescimento que continuam a ser resilientes, com previsões de 4,4% em 2019 e de 4,6% em 2020.

Se somarmos tudo isto, encontramos valorizações muito atrativas, especialmente em High Yield, e a dívida corporativa nos emergentes tem uma taxa de incumprimento que permanece abaixo da sua média histórica. Posso atrever-me a dizer que o investimento nos emergentes, especialmente no que diz respeito à Dívida de Mercados Emergentes, encontra-se num momento ótimo.

Neste contexto quais são as principais apostas da Miraud Asset Management?

As nossas análises indicam que o mercado de dívida – soberana e corporativa – oferece-nos, hoje, uma oportunidade única, onde é possível a construção de carteiras a vencimento com objetivos de rendimento previsto entre 7% e 8%, em dólares, a cinco anos. A aposta da Mirabaud em Mercados Emergentes vem de longe, mas neste contexto tão favorável quisemos potenciá-la ainda mais e abrir novas estratégias de prazo fixo em Dívida dos Mercados Emergentes mediante um tipo de veículos que contam com um perfil próximo ao de uma obrigação, mas também com a vantagem de ter uma carteira diversificada por trás.

E isto traduz-se em…

Falamos de novas ideias de investimento especialmente vantajosas se mantivermos o investimento a vencimento, com a Dívida de Emergentes em rentabilidades muito elevadas e  obrigações com risco de incumprimento extremamente reduzido, como comentávamos anteriormente. Mas, em vez disso, as novas abordagens podem oferecer aos clientes liquidez diária para que, em caso de necessitarem, ou quiserem mudar o seu perfil de risco, tenham sempre a opção de poder desfazer posições de forma ágil.

Trata-se de uma abordagem inovadora da Mirabaud num momento complexo para o investimento em Obrigações.

Efetivamente, é muito inovador. A equipa liderada por Daniel Moreno, gestor principal de carteiras na Mirabaud Asset Management e responsável máximo da área de Dívida de Mercados Emergentes, deseja dar resposta a uma importante procura dos clientes num momento que, em termos gerais, é complicado para as obrigações. O gestor detetou que nos emergentes existem muitas alternativos com um binómio rentabilidade-risco muito atrativo. Uma visão com grande potencial e suportada, sem dúvida, pela sólida e impecável trajetória do especialista, com valoração AAA e Bronze em Citywire, e um robusto track record nos últimos quatro anos, com uma rentabilidade acumulada que se situa acima de 25,82% (janeiro 2005/ fevereiro 2019).

Uma boa forma de enfrentar o bicentenário da entidade

Sim. A Mirabaud completa este ano 200 anos. Um legado bicentenário que forjou um estilo de investimento altamente reconhecido pelo mercado, centrado em cumprir as expectativas de retorno de investimentos dos nossos clientes mediante uma altíssima especialização, um forte controlo de riscos e com o olhar no longo prazo. Mas se algo caracteriza a Mirabaud é também o ser capaz de, mantendo a sua filosofia e valores chave, abrir-se às melhores possibilidades que o mercado oferece em cada momento. Sim, definitivamente, abrimos as portas agora a algo novo na área dos Mercados Emergentes, e fazemo-lo sob a convicção de que é uma aposta muito interessantes no contexto atual.

Profissionais
Empresas

Notícias relacionadas

O Mais Lido