Tags: Negócio |

A adaptação das SCI ao atual contexto de pandemia


O governo português decretou o Estado de Emergência no passado dia 18 de março, mas antes disso as entidades nacionais da área de gestão de ativos já se tinham de alguma forma acautelado, começando a pôr em prática o teletrabalho. Foi o caso das Sociedades de Consultoria para Investimento, que contam na primeira pessoa como implementaram esse processo.

Leia em seguida o testemunho de quatro Sociedades de Consultoria para Investimento: 

 

BaluartePedro_Assis_Baluarte

Pedro Assis 

 A Baluarte tem um plano de contingência que lhe permite operar em diversas condições de adversidade, que se podem resumir na indisponibilidade temporária ou definitiva de instalações, sistemas ou recursos humanos. As redundâncias previstas são aplicadas automaticamente, em caso de necessidade. Neste caso, felizmente, a indisponibilidade – inicialmente por iniciativa própria e mais tarde reforçada pela orientação das autoridades - é apenas da utilização das instalações. Dada a natureza da nossa atividade e o alcance global das carteiras de investimento dos nossos clientes, temos estado a seguir a evolução da pandemia desde o seu início. Reagimos no dia 27 às primeiras orientações da DGS e SNS, no contexto de higiene e segurança no trabalho. Nessa data foram adotadas as primeiras medidas de prevenção e contingência específicas, como a aquisição de materiais e equipamentos de higiene e proteção específicos e a definição de procedimentos para identificação e seguimento de casos suspeitos e validados entre os colaboradores e os seus contactos próximos. No dia 2 de março, reunimos a equipa para rever o plano geral de continuidade de negócio e validá-lo para esta emergência concreta. Confirmámos a sua correta adaptação às circunstâncias e decidimos suspender todas as viagens de trabalho não estritamente necessárias, substituir reuniões presenciais por teleconferências ou conferências telefónicas, limitar o contacto físico durante as reuniões imprescindíveis, e disponibilizar alternativas, suportadas pela empresa, às deslocações de e para casa em transportes públicos coletivos. As medidas foram intensificadas na semana seguinte, com o pedido aos colaboradores para continuarem a exercer as suas funções em teletrabalho. Desde 13 de março, toda a equipa da Baluarte tem estado a trabalhar de casa, sem qualquer diminuição da sua capacidade de trabalho. Este foi um duplo desafio, se considerarmos o ambiente de mercado extremamente volátil que foi necessário enfrentar nestas condições, com o consequente aumento de risco para o património dos nossos clientes. Este é um aspecto crítico para a definição de planos de contingência no nosso sector de atividade: a maior parte dos fenómenos – sobretudo naturais - que nos obriguem a trabalhar em circunstâncias diferentes das habituais, com elevada probabilidade geram também um ambiente de mercado mais exigente que o habitual. A capacidade demonstrada de manter um contacto estreito entre todos os elementos da equipa, com os clientes e com outros intermediários financeiros - que nos permitiu continuar a aconselhar adequadamente, e com resultado claramente positivo, todos aqueles a quem prometemos servir - revelou que o esforço de organização prévia e o investimento feito em sistemas para fazer face a esta e outras contingências é eficaz e inteiramente justificado. Queremos agradecer aos nossos clientes, que partilharam connosco a opção por alternativas à presença e contacto físicos neste período, e à nossa equipa, que revelou uma louvável capacidade de adaptação.

A Baluarte conta com uma equipa muito sénior e experiente. As tarefas – diárias, semanais, mensais, ad hoc - são do conhecimento de todos e cada um dos colaboradores. Cada elemento sabe o que se espera dele e todos sabem com o que podem contar dos outros. Para maior coordenação, todos os colaboradores mantêm os seus telefones e emails sob monitorização continua durante o horário laboral. Por essas e outras vias, há contactos regulares ao longo de cada dia para coordenação. As ferramentas de colaboração de Office 365 – Outlook (mail e calendar), Teams e outras - já normalmente utilizadas, prestam-se bem a trabalho remoto. Os acessos remotos a serviços de informação como o Bloomberg têm sido igualmente críticos. Para comunicar com fornecedores e, em particular, clientes, adaptámo-nos às suas necessidades. Para esse efeito, temos utilizado vários meios de comunicação: telefone, email, Skype, Zoom, Webex, entre outros.

 


Dolat

​Dolat Capital 

Carim Habib

 

Os sistemas operacionais da Dolat Capital encontram-se em pleno funcionamento e não tiveram qualquer momento de disrupção durante este período desafiante. O modelo de gestão de informação anteriormente implementado é totalmente compatível com o acesso remoto e teletrabalho.

A equipa dispõe de vários canais de comunicação permanentes durante o dia, assegurando uma constante e eficaz troca de informação,  e sobretudo elevada produtividade. É nossa convicção que a produtividade e a motivação da equipa não sofreu quebras, sendo equivalente à exibida anteriormente.

 


 

Hawkclawcapital Francisco Falcão

Francisco Falcão

A ativação do plano de contingência implicou que toda a equipa da Hawkclaw Capital Advisors passasse a trabalhar em modo remoto a partir de casa. O acesso aos servidores e sistemas de informação de mercado foi previsto por forma a garantir o normal funcionamento da entidade. Entretanto todas as interações diárias e reuniões passaram a ser realizadas através de plataformas de comunicação online (eg. skype).


Alexandre Mota (OK)

Partners2u

Alexandre Mota, CFA

Parte da equipa trabalha a partir de casa; outra parte no escritório 50/50.Cancelamos as reuniões presenciais. De resto tudo se mantém como antes, aliás com acréscimo de trabalho devido à turbulência do mercado. Ao nível das plataformas temos utilizado as mesmas de sempre: Reuters, Skype, etc…

 

 

Profissionais
Empresas

Notícias relacionadas

O Mais Lido