Tags: Negócio |

2018: GNB Gestão de Ativos lidera crescimento dos ativos sob gestão


No mês em que o ano de 2018 chegou ao fim, o mercado nacional de fundos de investimento mobiliário registou uma queda de 2% no volume de ativos sob gestão – queda mais evidente no aglomerado do ano, onde o decréscimo foi de 8,7% -, tendo o montante gerido ascendido a 11.221,2 milhões de euros. Por outro lado, de acordo com os dados revelados pela Associação Portuguesa de Fundos de Investimento, Pensões e Património, o saldo entre subscrições e resgates do acumulado do ano de 2018 foi negativo, na ordem dos 599,8 milhões de euros.

Captura_de_ecra__2019-01-22__a_s_16

Captura_de_ecra__2019-01-22__a_s_16

Fonte: APFIPP, dezembro de 2018

GNB Gestão de Ativos foi a que mais cresceu em termos absolutos

Olhando para o panorama das sociedades gestoras nacionais, a nível global verifica-se um claro decréscimo no montante sob gestão durante o ano transato, ainda que o pódio tenha encerrado o ano sem grandes alterações, com a Caixagest a manter-se como a entidade com maior volume de ativos sob gestão: 3.745,3 milhões de euros, o que se traduz numa quota de mercado de 33,4%.

Não obstante o panorama global negativo, algumas das entidades nacionais foram capazes de fazer crescer o seu volume de ativos sob gestão. A GNB Gestão de Ativos foi uma delas, tendo sido a entidade que maior crescimento, em valores absolutos, registou durante o ano de 2018, com um aumento de 20,5 milhões de euros. Já a Invest Gestão de Activos surge como a entidade que mais cresceu, em termos percentuais, com 34,2%.

Captura_de_ecra__2019-01-22__a_s_16

Fonte: APFIPP, dezembro de 2018

No que respeita ao saldo entre subscrições e resgates registado pelas entidades nacionais, a GNB Gestão de Ativos surge novamente em destaque, sendo aquela que melhor saldo de subscrições líquidas registou, com um total de 36,2 milhões de euros. Segue-se a Crédito Agrícola Gest, com 20 milhões de euros, e a Invest Gestão de Activos, com 14,6 milhões de euros.

Captura_de_ecra__2019-01-22__a_s_16

Fonte: APFIPP, dezembro de 2018

Empresas

Notícias relacionadas

O Mais Lido