Volatilidade próxima dos 30% no mês de junho


O sexto mês do ano foi sublinhado a vermelho. De acordo com os dados publicados pela CMVM, relativos ao sexto mês do ano, o principal índice bolsista nacional sofreu um revés de 4,9% em junho, tendo terminado o mês nos 5.551 pontos. Já a volatilidade disparou para os 28,99%, sendo este o valor mais alto do ano. Em termos acumulados, no primeiro semestre do ano a volatilidade foi de 21,7%, enquanto que em igual período do ano passado atingiu os 18,81%. Quanto à amplitude do índice, em junho foi de 7,35%, transformando-se em 37,31% nos primeiros seis meses do ano.

Capitalização bolsista cresce 7,2% em seis meses

Nos primeiros seis meses do ano a capitalização bolsista da Euronext Lisbon cresceu 7,2%, com o maior impacto percentual a ser registado nas obrigações, que aumentaram 8%. No entanto, foi nas ações que aconteceu o maior incremento monetário, com um crescimento de 9.108 milhões de euros.

Apesar disso, no mês de junho a tendência foi contrária, registando-se uma descida superior a 7.000 milhões de euros na capitalização bolsista da Euronext Lisbon.

Em termos de transações de Unidades de Participação, o sexto mês acentuou a queda que se regista no ano. Em junho o recuo foi residual (0,1%), muito embora no semestre já se cifre nos 12,5%.

OICVM e FIA continuam acima de 12.000 milhões

A CMVM, no seu relatório de junho, evidencia também a evolução dos ativos sob gestão nos organismos de investimento colectivo em valores mobiliários (OICVM) e nos fundos de investimento alternativos (FIA) no mês de maio. Assim, nesse mês, o património gerido pelos OICVM e FIA atingiu os 12.117 milhões de euros, o que corresponde a menos 0,4% do que no final do mês anterior.

Nos FII e nos FEII a tendência foi igualmente descendente, com a queda de 0,6% de abril para maio, com o valor a atingir os 11.871 milhões de euros.

Outras notícias relacionadas


Próximos eventos