Tags: Obrigações | Ações |

Volatilidade nas gestoras nacionais nos últimos três anos


A forma como os ativos sobem e descem influenciam muito o modo como o gestor e como o investidor aplica o seu dinheiro. Ter uma volatilidade baixa pode significar que o ativo tem uma rendibilidade baixa e com pouco risco. Mas será que uma volatilidade alta pode garantir ganhos maiores?

A Invest Gestão de Activos é a gestora nacional com o maior desvio-padrão, nos últimos três anos, segundo os dados de agosto da Morningstar. No período, os dois fundos que a entidade gere, tiveram uma volatilidade de 17,95%, dando 1,13% de ganhos médios anualizados aos seus investidores. Logo depois vem a MCO2, com uma volatilidade de 15,51%. No entanto, contrariamente à Invest, os seus dois fundos apresentam perdas de 25,25% anuais nos últimos três anos.

Mais perto do desvio-padrão médio do mercado (que está nos 8,90%), estão as entidades que gerem mais fundos no mercado nacional. A Caixagest tem 33 fundos e no período apresenta uma volatilidade de 11,43%, para uns ganhos de 1,19%. Já o Montepio Geral Fundos apresenta uma rendibilidade média de 2,14% para uma volatilidade de 10,69%, nos seus 21 fundos. BPI Gestão de Activos, Millennium Gestão de Activos, ESAF, BBVA Gest e SantanderAsset Management têm volatilidades muito próximas nos últimos três anos, sendo que os ganhos também são relativamente idênticos (entre 1% e 2,4%).

De notar ainda que as entidades com menos volatilidade no mercado fazem parte do grupo das Sociedades Gestoras de Fundos Imobiliários.

Empresas

Outras notícias relacionadas


Anterior 1
Anterior 1

O Mais Lido

Próximos eventos