Volatilidade e correções não desviaram os investidores do trajeto das ações


A volatilidade voltou em força aos mercados financeiros em maio, depois de uma espécie de período de “adormecimento”. Curiosamente, nas  plataformas nacionais que distribuem fundos de investimento estrangeiros os investidores não se deixaram “assustar” por este mês mais conturbado e continuaram adeptos do risco e, consequentemente, os fundos de ações foram a sua principal preferência.

Um resumo mais macro económico do mês passado chega pelas mãos do ActivoBank. João Graça, da entidade, explica que o quinto mês do ano foi de contrariedades. “Na Europa parece não existir uma solução para a Grécia e o momentum parece estar a abrandar, o BCE já sinalizou estar disposto a mudar as regras do QE para garantir o sucesso”, refere, acrescentando que “do outro lado do Atlântico, Yellen assumiu pela primeira vez este mês que as taxas de juro de longo prazo estão demasiado baixas e que o mercado acionista está bastante valorizado, no entanto os dados macros têm melhorado e perspetiva-se a subida de taxas de juro já este ano”.

Volatilidade não foi pedra no caminho do risco... e das ações

Neste contexto, do Banco Best é dada a conhecer uma lista de fundos mais subscritos que está em linha com meses anteriores. Rui Castro Pacheco, head of asset management da entidade, indica mesmo que “embora algo monótono, o Top de fundos mais subscritos tem sido muito consistente nos últimos meses”. O profissional sublinha que “mesmo com semanas bastante mais voláteis relativamente ao que vínhamos a registar no início do ano, as subscrições continuam claramente a dirigir-se para fundos de maior risco”. Ainda assim, no top de produtos mais apreciados neste “supermercado de fundos” figuram dois habituées que se inserem no domínio das obrigações: “são os já conhecidos e flexíveis Jupiter Dynamic Bond e o Pioneer Emerging Markets Bond”, refere Rui Castro Pacheco.

Do BiG é reportada uma situação semelhante. Isabel Soares, gestora de produto, também enfatiza que “o mês de maio ficou marcado por movimentos de correção que tiveram impacto não só no segmento acionista como também (e de forma mais acentuada) no segmento de dívida”. Contudo, apesar da incerteza, “os investidores parecem continuar a não se distanciar das soluções de risco”. Assim, na plataforma, “a lista de produtos mais subscritos no período volta, por isso, a ser dominada por fundos de acções”.

A profissional explica que em consonância com “a mais recente actualização de carteiras associadas ao serviço Fund Advisor, a alocação a acções continua a privilegiar as regiões da Europa e Ásia”. É neste segmento que destaca as entradas de dinheiro “no fundo Henderson Pan European Alpha (com estratégia menos direccional), no fundo Pictet Japanese Equity Selection (com enfoque no mercado nipónico) e no Mirae Asia Sector Leader Equity (recentemente incluído na nossa oferta e que tem como universo de investimento empresas asiáticas que são líderes no seu sector de actividade)”.

No Banco Best, por seu lado, no que diz respeito aos fundos de ações frisam-se alguns suspeitos do costume. “Continuamos a registar fortes subscrições no setor da Saúde e Biotecnologia, com os fundos geridos pela BlackRock e Franklin Templeton. Adicionalmente, continuamos a registar o bom desempenho nos fundos que temos sugerido para o investimento em ações globais (Invesco Global Structured Equity), ações americanas (Legg Mason ClearBridge US Aggressive Growth) e ações europeias (UBS European Opportunity Unconstrained e Jupiter European Growth)”, enumera Rui Castro Pacheco.

Flexibilidade mantém-se à prova de bala

Num patamar de risco intermédio surgem no Banco Best nomes que também não são desconhecidos. A este nível o destaque vai para os fundos mistos “que este mês aparecem na liderança do TOP, com os também já conhecidos Nordea Stable Return e MFS Global Total Return, com o primeiro mais preocupado em preservar capital e menos exposto a ações e o segundo um pouco mais flexível na tomada de risco”.

No que diz respeito às opções mais conservadoras no BiG, apontam-se algumas novidades no mês passado. Isabel Soares aponta os inflows nos “nos fundos Pimco Unconstrained Bond (fundo de obrigações flexível com política de investimento bastante abrangente em termos, por exemplo, de áreas geográficas, sub-segmentos de dívida ou emitentes) e no fundo Schroder Global Convertible Bond (fundo de obrigações convertíveis que permitem combinar uma componente com exposição ao segmento de dívida com uma componente de equity)”.

O favorecimento de economias fortes 

Nesta mescla entre novidades e nomes antigos no BiG e no Banco Best, surge no  ActivoBank uma lista que demonstra que maio foi sinónimo de mudança. João Graça explica que existiram muitas modificações “com alguns fundos geograficamente concentrados a assumirem o destaque, como o Fidelity Germany e o Sisf Japanese Equity”. Explica que sendo estas duas economias por si só fortes, os apoios dos respetivos bancos centrais nos programas de estímulo parece elevar exponencialmente a capacidade de valorização dos seus mercados acionistas e acreditamos que é essa a expectativa que os nossos investidores têm”. 

Fundos estrangeiros mais subscritos nas plataformas em maio 

 

Banco Best

ActivoBank

BiG

1

Nordea-1 Stable Return Fund E EUR

UBS (LUX) SF Yield (EUR) N Acc

Henderson H. Pan European Alpha

2

MFS® Meridian Funds - Global Total Return Fund Class A1 EUR Acc

Fidelity F Germany A

PIMCO Unconstrained Bond

3

BlackRock Global Funds - World Healthscience E2 EUR

Parvest Bond Euro Government N

BNY Mellon Euroland Bond

4

Invesco Funds - Invesco Global Structured Equity Fund E

Fidelity F China Focus A

Schroder ISF Global Convertible Bond

5

The Jupiter Global Fund - Jupiter Dynamic Bond Class L EUR Q Inc

Pictet Security R EUR

Nordea 1 Stable Return Fund

6

Legg Mason ClearBridge US Aggressive Growth Fund Class A EUR Acc

Fidelity F Greater China E

Pictet Japanese Equity Selection

7

UBS (Lux) Equity SICAV - European Opportunity Unconstrained (EUR) P-acc

SISF Japanese Equity (EUR Hedged) B

Threadneedle IF Pan European Smaller Companies

8

Pioneer Funds - Emerging Markets Bond C EUR ND

Fidelity F Global Health Care E

Mirae Asia Sector Leader Equity USD

9

The Jupiter Global Fund - Jupiter European Growth Class L EUR Acc

JPM Inv F US Select Equity D

Fidelity Funds - Global Dividend Fund

10

Franklin Biotechnology Discovery N Acc $

SISF UK Equity B

Pioneer Fund Global Equity Target Income

Fonte: informação cedida pelas três plataformas

 

Profissionais
Empresas

Outras notícias relacionadas


Próximos eventos