Valor global sob gestão dos OICVM estrangeiros em ritmo ascendente


O segmento de gestão de ativos tem vindo a destacar-se ao longo dos últimos tempos. Na mais recente publicação da CMVM que aborda este tema, referente ao final do terceiro trimestre do ano passado, os ativos sob gestão em Portugal somavam 96.044 milhões de euros, com o valor corrigido a situar-se em 93.030 milhões de euros. Este valor corrigido, de acordo com o regulador, “exclui as unidades de participação OIC nacionais detidas no âmbito da gestão individual e coletiva de ativos como forma de eliminar o efeito de dupla contagem”. Face ao final do ano de 2014, nos primeiros nove meses de 2015 o valor total cresceu mais de 3 mil milhões de euros, com o crescimento no valor corrigido a ser semelhante.

Na mesma publicação é possível verificar o valor sob gestão dos OICVM estrangeiros. De acordo com a CMVM, “o valor total de participações em OICVM comercializadas em Portugal não constitui gestão de ativos nacional, embora reflita a concorrência dessas participações face aos fundos de investimento nacionais”. No final do terceiro trimestre de 2015 – ou seja, em setembro – o valor sob gestão dos OICVM estrangeiros atingia os 2.691,6 milhões de euros. Este valor representa um aumento de 35% face ao final do ano passado.

Alargando a análise até ao final do ano de 2011, o aumento é assinalável. Os dados da CMVM apontam para um aumento superior a 380% entre o final de 2011 e o terceiro trimestre do ano passado. Em termos monetários, o montante sob gestão passou de 559 para os 2.691 milhões de euros.

O gráfico seguinte mostra a evolução no período descrito, onde o maior incremento anual ocorreu em 2014. Durante esse ano o crescimento situou-se em 91%, passando de 1.042 para 1.996 milhões de euros.

Evolução do Valor Sob Gestão dos OICVM Estrangeiros

em milhões de euros

Banco Best: a entidade que comercializa o maior número

Os dados do regulador mostram, ainda, como era a estrutura do mercado em setembro passado. De acordo com a publicação eram quinze as entidades comercializadoras em Portugal que disponibilizavam um total de 103 OICVM estrangeiros. Face ao final do ano passado, os primeiros nove meses trouxeram um aumento em ambas as variáveis. O número de entidades comercializadoras passou de 12 para 15, e o número de OICVM estrangeiros passou de 88 para os atuais 103.

A CMVM evidencia, também, quais as entidades que comercializavam o maior número de produtos. O Banco Best segue na linha da frente com 81 OICVM estrangeiros, sendo seguido do ActivoBank e do BiG com 31 OICVM cada. Logo depois vem o Deutsche Bank AG com a comercialização de 29 OICVM estrangeiros.

Empresas

Outras notícias relacionadas


Próximos eventos