Tags: Estilo |

Vá ao MUDE conhecer o trabalho de André Saraiva


Artista e empresário francês, de origem portuguesa, André Saraiva começou a trabalhar em graffiti ainda em 1985, tendo participado no emblemático mural junto ao Centro Comercial das Amoreiras. Durante os anos 1990 criou um “alter-ego” de seu nome Mr.A que invadiu as ruas de várias cidades europeias, habitando empenas de prédios, espaços devolutos, montras, fachadas e muros. Personagem de cabeça redonda, grande sorriso, olhos em forma de X e pernas lineares e compridas, por vezes, ganhou asas, outras vezes assumiu-se no feminino, sendo cada vez mais estilizada. Nunca perdendo a sua linguagem gráfica de origem, André Saraiva tem vindo a explorar outros territórios artísticos, nomeadamente a instalação, a pintura, a serigrafia, a direção criativa da revista L’Officiel Hommes e, mais recentemente, edição, a curta-metragem e o vídeo.

André Saraiva é na atualidade uma das figuras cimeiras do grafitti mundial e um artista global para quem a arte é um bem de consumo, entretenimento e prazer. Proprietário do night-club Le Baron, em Londres, Nova Iorque, Tóquio e Paris, e de Hotel Amour (Paris), tem colaborado com as principais marcas multinacionais, como por exemplo, Louis Vuitton, Levi’s, Moet & Chandon, Chloé, Chanel, Belvedere, Fendi, Cartier ou Givenchy, sendo um exemplo de como a linguagem marginal, irreverente e transgressora do graffiti foi sendo apropriada pelo sistema e pelas instituições. O resultado é um universo de objetos e produtos onde a sua linguagem irónica, descomprometida e sexual, por vezes subversiva, de cores vivas e contrastantes, faz a diferença. Isso não significa que tenha deixado as ruas, onde continua a deixar a sua marca através dos Love graffiti.

A sua obra tem vindo a ser reconhecida e exposta em vários museus e galerias de arte contemporânea com exposições a solo onde é possível ver segmentos do seu trabalho, como os Dream Concerts ou as arquiteturas da sua Andrépolis. Destaque para Palais Tokyo (Paris), Maison Kitsuné (Tóquio), Museum of Contemporary Art (Los Angeles), Circle Culture Gallery (Hamburgo), Anonymous Gallery (Cidade do México). No MUDE a exposição André Saraiva, com quase 200 peças, é pensada e desenhada como uma grande instalação no piso 3. As diferentes expressões artísticas em que tem trabalhado surgem em complementaridade, de modo a sublinhar o seu desenho e dando a conhecer a sua obra que aprofunda a linguagem pop e é devedora das noções de espectáculo, arte com um sentido lúdico e contaminação entre a arte erudita e a arte pop do pós-modernismo.

Próximos eventos