Uma “mão cheia de anos” nos fundos de curto prazo


Praticamente um ano volvido depois da Associação Portuguesa de Fundos de Investimento, Pensões e Patrimónios – APFIPP – alterar a denominação dos fundos de tesouraria para fundos de curto prazo, é hora de fazer o balanço dos últimos cinco anos. De notar, ainda, que para a Associação, os fundos que se inserem nesta categoria são aqueles que “investem em activos de elevada liquidez, sendo que mais de 50% dos activos em carteira devem ter prazo de vencimento residual inferior a 12 meses”.

A categoria é composta por nove produtos cujas entidades se encontram registadas na Associação, e que regista, nos últimos cinco anos, uma rendibilidade média anualizada de 1,70%, de acordo com a Morningstar.

Dos nove produtos, aquele que regista o melhor comportamento nos cinco anos anteriores ao final de novembro é o Banif Euro Tesouraria. Gerido pela Banif Gestão de Activos, o produto tem-se destacado por entrar na lista seletiva dos produtos cinco estrelas para a Morningstar. No período em análise a sua rendibilidade é de 2,90% e registava, no final de outubro, um património superior a 22,3 milhões de euros. Nas maiores posições em carteira encontramos alguns depósitos a prazo em instituições nacionais, além de títulos de dívida da cotada nacional Semapa e da Caixa Geral de Depósitos.

Com 2,37% de rendibilidade anualizada no período em questão figura um produto que é gerido por Amit Maugi da GNB Gestão de Ativos: o NB Tesouraria Ativa. No final de novembro o seu património era de 50 milhões de euros com as obrigações corporate a representarem 53% da carteira, com a obrigações soberanas a surgiram logo depois com uma fatia de 33% da carteira. De acordo com a ficha do produto, referente ao mês passado, foi a “exposição a ativos do setor financeiro e à divida pública de curto prazo”, juntamente com a “redução da yield da dívida pública alemã” que deram uma “empurrão” ao produto no décimo-primeiro mês do ano.

As rendibilidades superiores a 2% não ficam por aqui. Acima deste patamar ainda encontramos o Popular Tesouraria. Gerido pela Popular Gestão de Activos, o fundo regista uma valorização de 2,20%. Gere mais de 18 milhões de euros e, nas maiores posições, encontramos um depósito à ordem no Banco Popular, seguido de Papel Comercial da cotada nacional F. Ramada. Dentro da sua categoria, foi o fundo que melhor desempenho apresentou em 2015 até ao dia 9 de outubro

Montepio Tesouraria entre os destacados

Além dos três produtos já mencionados, destaque ainda para o Montepio Tesouraria que é da responsabilidade da Montepio Gestão de Activos. Nos últimos cinco anos a sua subida foi de 1,63% e no final de novembro geria um património superior a 57 milhões de euros. O maior investimento em carteira vai para dívida corporativa da Caixa Geral de Depósitos e do banco italiano Intesa Sanpaolo.

Os fundos de curto prazo nos últimos cinco anos

FundoGestoraRendibilidade 5 anos*
Banif Euro TesourariaBanif Gestão de Activos2,898
NB Tesouraria AtivaGNB Gestão de Ativos2,374
Popular TesourariaPopular Gestão de Activos2,204
Montepio TesourariaMontepio Gestão de Activos1,628
Patris TesourariaPatris Gestão de Activos1,329
IMGA LiquidezIM Gestão Activos1,288
BPI LiquidezBPI Gestão de Activos1,140
Lynx Euro Tesouraria Lynx Asset Managers0,981
Santander MultitesourariaSantander Asset Management0,717
Dunas Banco BIC Tesouraria A EURDunas Capitaln.a.
Fonte: Morningstar no final de novembro. * Rendibilidade Anualizada
Empresas

Outras notícias relacionadas


Próximos eventos