“Um fundo europeu que pode fazer diferença num contexto pós-Brexit”


(Duarte Francisco, selecionador da  Wealth Management Unit do Millennium BCP, escreve hoje para o espaço "Um fundo porque sim". O fundo escolhido é o Threadneedle European Select Fund, gerido pela Columbia Threadneedle Investments, e um fundo Blockbuster Funds People).

De acordo com a Bloomberg, a final de setembro de 2016 o Threadneedle European Select Fund tinha cerca de 4bn€ sob gestão. Este valor tem mantido alguma estabilidade quando comparado com o AUM de final de 2015, no entanto aumentou bastante em relação a Dezembro de 2014, onde o gestor tinha 2.8bn€ sob gestão.

O Threadneedle European Select Fund é gerido por David Dudding (Lead Portfolio Manager) e Mark Nichols (Deputy Manager) ambos membros da equipa de ações Europeias da Columbia Threadneedle.

A filosofia de investimento do fundo baseia-se na premissa de que o valor intrínseco de cada empresa é determinado pelo seu crescimento, retorno de capital, sustentabilidade, vantagem competitiva e “princing power”. Por este motivo, a equipa vai dedicar a maioria do seu tempo a análise destes fatores com o intuito de encontrar as melhores oportunidades de investimento.

O processo de investimento tem 3 fases distintas:

  1. Idea Generation: É a primeira fase do processo. As ideias de investimento podem surgir de temas macroeconómicos ou tendências setoriais, mas a sua maioria surge das reuniões que os elementos da equipa vão tendo com as empresas. A equipa de ações europeias da Columbia Threadneedle realiza cerca de 700 reuniões com empresas por ano e é essa a maior fonte de geração de ideias para o fundo.
  2. Research / debate: Após a identificação de um potencial investimento os analistas da equipa realizam uma análise muito detalhada sobre ele. Recorrem apenas a análise fundamental e o research utilizado é maioritariamente interno. Os membros da equipa acham que é fundamental reunir com as empresas onde investem, pois consideram que só aí é que conseguem conhecer bem o negócio. Apesar de não ser um ponto fundamental do processo, os analistas também verificam o nível de valorização de cada potencial investimento.
  3. Portfolio Construction: É a última fase de processo de investimento, aqui os analistas apresentam propostas de investimento a David Dudding. Apesar do processo ser feito e debatido por toda a equipa, é ele o responsável por todas as decisões tomadas no fundo. David vai focar a sua atenção na análise da 5 Forças de Porter pois considera que este tipo de análise é a mais eficiente para encontrar empresas com crescimento sustentável e “princing power”. O fundo irá ter um portfolio concentrado (entre 45 e 60 empresas) e mais orientado para empresas de grande capitalização.

Apesar de ainda existir muita incerteza em redor do Brexit, considero que os investidores tenderão a repensar os seus investimentos em ações europeias. Do meu ponto de vista, se no passado já fazia sentido a segregação do Reino Unido das carteiras de ações europeias, com o Brexit essa separação fará ainda mais sentido. Por esse motivo, considero que Threadneedle European Select Fund poderá ser uma boa opção de investimento.

A boa performance histórica do fundo, aleada ao processo de investimento bastante metódico e detalhado e à procura de histórias de sucesso de longo prazo são das características que mais me atraem neste produto.

Perante alguma incerteza sobre as consequências diretas que o Brexit irá trazer às empresas europeias, dada a sua filosofia de investimento – procura de empresas com crescimento sustentável e “princing power”, considero que este fundo poderá fazer a diferença neste universo. 

 

Empresas

Outras notícias relacionadas


Próximos eventos