Último semestre dos produtos que investem ativamente em ações portuguesas


Os últimos seis meses do mercado nacional (entre o final de novembro de 2014 e o último dia de negociação do passado mês de maio) são classificados como positivos. Depois do “verão quente” do ano passado, o PSI-20 sofreu algumas correções, mas nos últimos seis meses o saldo é positivo, com o principal índice bolsista nacional a crescer 12,81%, segundo os dados publicados pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Entre os seis produtos classificados pela Associação Portuguesa de Fundos de Investimento, Pensões e Patrimónios – APFIPP – como fundos de ações nacionais, apenas um consegue registar uma rendibilidade próxima à do índice.

Com uma rendibilidade de 12,80% nos seis meses anteriores ao final de maio, surge o Millennium Acções Portugal. O produto é gerido por Nuno Marques, da equipa de ações da Millennium Gestão de Activos. A Funds People deu-lhe a conhecer recentemente a equipa da “nova” Millennium Gestão de Activos. Este produto foi também aquele que obteve a maior rendibilidade entre os fundos de ações em Portugal nos primeiros quatro meses do ano e tinha, no final de abril, mais de 37 milhões de euros em património. No final de abril, a maior posição em carteira pertencia a um futuro sobre o PSI-20, seguido das cotadas BCP e Sonae SGPS.

Com cerca de 10% surgem dois produtos: o BPI Portugal e ainda o Banif Acções Portugal. O primeiro é gerido por Catarina Quaresma Ferreira e Carla Brito Fonseca, da BPI Gestão de Activos. O fundo foi eleito, nos últimos Morninstar Awards como “Melhor Fundo de Ações Portugal” e consta, também, da lista dos “fundos mais consistentes em termos de rendibilidade ajustada ao risco do mercado nacional” que a Funds People lhe apresentou na primeira revista de 2015. No final de maio o fundo tinha quase 34 milhões de euros em ativos sob gestão. Além do futuro sobre o índice nacional, que é a maior fatia da carteira, também encontramos nas maiores posições um fundo da casa (o BPI Monetário Curto Prazo) e ainda a NOS, de acordo com a Morninstar no final de abril.

Já o Banif Acções Portugal é gerido por Jorge Guimarães da Banif Gestão de Activos. A sua rendibilidade nos últimos seis meses é de 9,76% e o seu património ascendia a mais de 6 milhões de euros no final do mês de abril. Tal como nos fundos anteriores, a maior posição em carteira vai para o futuro sobre o principal índice de referência em Portugal. Nos maiores investimentos seguintes encontramos a NOS e ainda a Sonae SGPS.

Os restantes produtos Caixagest Acções Portugal, Santander Acções Portugal e ainda NB Portugal Ações registam uma rendibilidade nos últimos seis meses a rondar os 6%. Estes três fundos totalizam mais de 175 milhões de euros em ativos sob gestão, com o produto gerido por Diogo Pimentel da Santander Asset Management a ser o maior entre todos na categoria "Ações Nacionais", com mais de 115 milhões de euros em património.

Os fundos de ações nacionais nos últimos seis meses

para aumentar

Fonte: APFIPP no final de maio. Dados de final de novembro de 2014 até final de maio de 2015
Profissionais
Empresas

Outras notícias relacionadas


Próximos eventos