Três fundos cresceram mais de 50%


A indústria de fundos em Portugal teve uma rendibilidade média de 6,79%, nos últimos doze meses, segundo os dados da Morningstar. Num total de 220 fundos de investimento analisados, existem três que têm uma rendibilidade acima de 50% e todos compartilham de uma característica: pertencer à categoria de Fundos de Poupança Ações.

Estes fundos têm aproveitado a subida do PSI-20, dado que o principal índice bolsista nacional cresceu 30% nos últimos doze meses, segundo publicou a CMVM no seu boletim mensal.

O camisola amarela é o Santander PPA, do Santander Asset Management. Este fundo tem estado, frequentemente, como produto líder nas dez melhores rendibilidades nos últimos dozes meses, divulgadas semanalmente em relatórios da APFIPP. No último dia do mês passado a sua rendibilidade ascendia a 60,96%. O fundo fechou março com 6,55 milhões de euros em ativos sob gestão e no dia 10 de abril tinha a unidade de participação a valer 38,86 euros. Como posições principais, no final de fevereiro, apareciam o BCP, a Sonae, a Mota-Engil e a EDP Renováveis, tal como um futuro sobre o PSI-20. Desta forma, é o sector industrial aquele quem maior presença tem na carteira. Através da imagem verificamos que o produto tem um estilo de investimento "Blend" e uma preponderância de "small caps".

 

Logo depois vem o fundo da BPI Gestão de Activos, o BPI Poupança Acções. Este fundo garantiu aos seus subscritores uma rendibilidade de 57,22% nos últimos doze meses, e tem uma unidade de participação de 18,65 euros no final do dia 9 de abril, segundo a Morningstar. Já o montante sob gestão ascende a 3,05 milhões de euros. Os serviços financeiros e a indústria disputam o primeiro lugar como sector mais representado na carteira, onde a Sonae, o BCP, o Banco BPI e a Zon Optimus dominam. De forma a aumentar a exposição ao mercado encontra-se, à semelhança do fundo anterior, o investimento num futuro sobre o índice bolsista nacional. Em termos de estilo de investimento e do tamanho, também não há diferenças, isto é, estilo "blend" e uma maioria de empresas de pequena capitalização. 

 

O pódio é encerrado com o ES Poupança Acções PPA, da ESAF. Este produto fecha o período de análise com ganhos de 52,76% e um património sob gestão de quase 4 milhões de euros. De acordo com a Morningstar, este fundo tem um rating quantitativo cinco estrelas e tinha uma unidade de participação de 17,19 euros no dia 10 de abril. Contrariamente ao que se passa nos fundos anterior, aqui o sector mais representado é o das telecomunicações. A Portugal Telecom, a Galp Energia, a EDP Renováveis e a Zon Optimus fazem parte da lista das empresas com maior peso na carteira, onde ainda aparece um ETF que segue o PSI-20. Sobre o estilo de investimento o fundo adopta o estilo  "blend" e em termos de capitalização das empresas investidas, esta é média. 

 

 

Análise Funds People a partir dos dados disponibilizados pela Morningstar a 31 de março de 2014

Empresas

Outras notícias relacionadas


O Mais Lido

Próximos eventos