Top 10 dos fundos multiativos nacionais


A Associação Portuguesa de Fundos de Investimento, Pensões e Patrimónios – APFIPP – divide os fundos multiativos em três categorias, consoante o seu estilo de investimento, nomeadamente ao nível da sua exposição a ações. Assim, os fundos multiativos defensivos só podem ter até 35% da sua carteira aplicada em ações; nos equilibrados a exposição a ações tem de ser superior a 35% e inferior a 65%, enquanto nos fundos multiativos agressivos a componente acionista terá de ser superior a 65% da carteira.

Com estas características a APFIPP encontra mais de 25 produtos, sendo que os que apresentam um património mais elevado pertencem à sub-categoria dos fundos multiativos defensivos. Esta categoria é, inclusive, o maior segmento do mercado nacional com o valor dos ativos sob gestão a superar os 1.665 milhões de euros no final do mês de agosto. Já em termos de captações líquidas, em 2015, as três sub-categorias somam mais de 730 milhões de euros, com os multiativos defensivos a totalizarem entradas líquidas de 613 milhões de euros.

A conhecida expressão financeira de “não colocar todos os ovos no mesmo cesto” reflete-se na crescente procura e respetiva popularidade dos produtos multiativos, dando ao investidor mais ferramentas para enfrentar o mercado em períodos de maior volatilidade. Assim, a utilização de produtos que ajudem a balancear a carteira e a maior flexibilidade da mesma permite ao investidor ter uma maior “tranquilidade” face ao mercado.

Desta forma, no top ten dos fundos multiativos existem oito de perfil defensivo e dois considerados de perfil equilibrado. O líder é, portanto, o Millennium Prestige Conservador que já foi, inclusivamente, o segundo maior produto do mercado nacional, ocupando agora o terceiro posto. Gerido pela Millennium Gestão de Activos, o fundo geria, no final do mês passado, mais de 635 milhões de euros. Analisando o saldo entre subscrições e resgates, verificamos que nos primeiros oito meses do ano o fundo regista um fluxo de entrada de dinheiro superior a 157 milhões de euros.

Com quase 250 milhões de euros surge o Caixagest Selecção Global da responsabilidade da Caixagest, sendo seguido por dois fundos da Santander Asset Management: o Santander Select Defensivo e o Santander Select Moderado. O primeiro com 233 milhões e o segundo com 132 milhões de euros. Estes três produtos, juntamente com o maior do segmento dos multiatovos – o Millennium Prestige Conservador - , somam um saldo superior a 500 milhões de euros, no que toca às captações líquidas em 2015.

Ainda antes do primeiro fundo multiativo equilibrado surgir na lista, figura o Caixagest Estratégia Equilibrada, da Caixagest, com 130 milhões de euros de património, no final do oitavo mês do ano.

Nem tudo é defensivo

Na lista dos dez maiores produtos multi-ativos do mercado nacional, figuram dois fundos multi-ativos equilibrados: o Millennium Prestige Moderado e ainda o Santander Select Dinâmico. O primeiro, sob gestão da Millennium Gestão de Activos, com 122 milhões de euros e o segundo, que fecha o top 10 desta lista, com quase 50 milhões de euros. Estes dois produtos totalizam, juntos, mais de 63 milhões de euros em captações líquidas nos primeiros oito meses do ano.

Entre os fundos multiativos agressivos o maior é o Millennium Prestige Valorização. Gerido pela Millennium Gestão de Activos o fundo fechou o mês de agosto com pouco mais de 49 milhões de euros em património. Verificando as entradas liquidas neste produto, por parte dos investidores em 2015, o montante totaliza quase 8 milhões de euros.

Os 10 maiores produtos multi-ativos

Fonte: APFIPP no final de agosto
Empresas

Outras notícias relacionadas


Próximos eventos