“Temos de estar atentos a todos os sinais e sermos muitos cautelosos”


Depois de nos ter falado sobre as Obrigações Convertíveis na sua última passagem por Lisboa, Gilbert Keskin, Co-Head of Volatility e Convertible Bonds da Amundi Asset Management, também  deu a sua opinião sobre a volatilidade. Um tema que explicitou à Funds People, e que tem cada vez mais implicações nos mercados financeiros.

Estamos a assistir a valores de volatilidade baixos o que poderá dizer que temos de estar atentos a todos os sinais redobrando a cautela”, começou por dizer o especialista da Amundi sobre o tema.

“Os investidores estão cada vez mais à procura de rendibilidades e utilizar a volatilidade poderá ser uma das soluções”, continua o gestor.  O especialista acredita que ter um produto de volatilidade na carteira é sempre uma mais-valia para qualquer investidor. “O investidor utiliza a volatilidade como meio de diversificação e, também, como meio  de descorrelação dos principais instrumentos financeiros que tem no seu portfólio”, explica. Ainda assim, a percentagem em carteira que o investidor deve alocar a um produto de volatilidade terá de ter em conta alguns factores, como “a volatilidade que o investidor está disposto a suportar ou o nível de diversificação do seu portfólio”.

O que pode fazer a volatilidade subir?

Para o especialista da Amundi, existem alguns factores que podem elevar novamente a volatilidade para valores mais altos. Neste momento, um dos principais indicadores é a forma como o “BCE está a controlar a deflação na Europa”. Para o gestor este factor é da inteira responsabilidade do BCE e a forma como o vai resolver poderá definir a volatilidade na Europa nos próximos tempos.

Além deste, também os eventos geopolíticos podem fazer “mossa” na volatilidade baixa. “O diferendo Rússia/Ucrânia causa muita incerteza aos mercados, tal como os conflitos no Médio Oriente”. Também o risco de liquidez poderá fazer com que a volatilidade volte a crescer e poderá trazer “algumas semanas de stress aos mercados”. O gestor dá como exemplo os “excessos no mercado de crédito ou a instabilidade nos mercados de forex que podem passar para outros segmentos”.

Produtos da gestora

A Amundi tem alguns produtos que podem ajudar os investidores a seguir a volatilidade: o Amundi Funds Absolute Volatility Euro Equities, o Amundi Funds Absolute Volatility World Equities e ainda o Amundi Funds Absolute Volatility Arbitrage Plus.

Os dois primeiros produtos oferecem uma exposição pura, flexível e optimizada às variações da volatilidade implícita a 1 ano dos índices representativos dos principais mercados, enquanto o último produto centra-se nas arbitragens da volatilidade dos instrumentos financeiros a prazo e das obrigações convertíveis.

Empresas

Outras notícias relacionadas


Próximos eventos