Sete dos dez fundos mais vendidos na Europa em setembro são monetários


A indústria de fundos europeia registou saídas líquidas de 17.000 milhões de euros em setembro, como consequência dos fortes resgates registados nos produtos de obrigações (-19.340 milhões de euros) e nos monetários (-14.400 milhões), segundo dados do último relatório Lipper Thomson Reuters. Os 2.000 milhões de euros que entraram no mês passado em fundos mistos e os 1.820 milhões que captaram os produtos UCITS alternativos não foram suficientes para contrariar esta tendência. À negativa evolução de setembro também não escaparam os fundos de ações, que experimentaram fluxos de saída no valor de 1.240 milhões de euros.

Esta situação acontece apesar da boa aceitação que tiveram os produtos de ações europeias, com fortes entradas tanto para os que investem na Zona Euro (1.700 milhões) como na Europa em geral (1.300 milhões). A tendência contrária aconteceu nas ações americanas, de onde saíram 1.600 milhões no mês. No campo das obrigações as maiores saídas concentraram-se nos produtos que centram o seu universo de investimento no mercado de obrigações corporativas europeias, de onde saíram em setembro 4.000 milhões de euros. Do mesmo modo, também se registaram importantes fluxos de saída dos fundos globais de obrigações emergentes investidos em moeda estrangeira (-2.300 milhões) e os produtos de obrigações globais (-1.700).

Fazendo a análise por gestoras, a BlackRock foi a entidade que mais entradas líquidas recebeu no mês, com pouco mais de 6.000 milhões de euros, seguida da Standard Life (1.400 milhões) e a Vanguard (1.100 milhões). Por classe de ativo, a Deka (500 milhões de euros), a Norwegian DNB e a Vanguard, com 400 milhões, em cada caso, foram as gestoras que mais volume captaram nos seus fundos de obrigações. No que diz respeito às ações, a BlackRock, com 1.600 milhões de euros, foi a gestora que mais entradas recebeu nos seus produtos referentes a esta classe de ativos (1.600 milhões). Foi também a que mais captações recebeu nos seus fundos mistos (400 milhões) e a que dispõe do produto mais vendido no mês, que neste caso foi um monetário (ver tabela). Para além da BlackRock, no ranking aparecem fundos da J.P. Morgan AM, Natixis Global AM, BNP Paribas IP ou Standard Life.

Neste sentido importa destacar o facto de sete dos dez fundos mais vendidos na Europa em setembro terem sido produtos do mercado monetário, que conjuntamente captaram quase 8.000 milhões de euros. E tudo isto, apesar de, como mencionado acima, esta categoria ter sido a segunda que mais saídas líquidas registou no mês. Completam o ranking dos produtos mais vendidos na Europa no mês passado os fundos de ações da gestora Swedbank Robur: um que investe na bolsa americana, e outro de ações suecas. O décimo posto vai para um fundo misto de vencimento da Pioneer Investments, com entradas líquidas no período de quase 730 milhões de euros. 

            Os 10 fundos mais vendidos na Europa em setembro

Empresas

Outras notícias relacionadas


Próximos eventos