Tags: Obrigações | Ações | EUA |

Sessão de tensão e nervos em Wall Street: Bolsa de Nova Iorque encerra com perdas superiores a 1,5% depois de mais de três horas suspensa


Jornada de tensão e nervos em Wall Street. A bolsa de Nova Iorque viveu uma sessão de grande incerteza, na qual a negociação permaneceu suspensa por três horas por causa de uma falha informática. Os problemas começaram inclusivé antes da sua abertura, quando agentes da Bolsa de Nova Iorque informavam acerca de um problema técnico não apurado. Foi duas horas depois da abertura, por volta das 11.30 da manhã (hora local), quando a New York  Stock Exchange informou através da sua página web a suspensão temporária da negociação de todos os títulos, ficando canceladas todas as ordens abertas. Segundo o responsável do mercado americano, foram os problemas que surgiram ao tratar de resolver o problema técnico inicial, que acabaram por obrigar o operador a suspender as cotações.

O incidente deu lugar a todo o tipo de especulações no mercado, o que obrigou a NYSE a aclarar via Twitter que a suspensão se devia a questões técnicas e não a um ataque informático. Foi essa precisão perante as suspeitas de ciberataque que tinham sido forjadas, por este incidente coincidir curiosamente com falhas técnicas que tinham interrompido o serviço de outras duas grandes empresas americanas: a United Airlines (que teve que paralizar todos os seus voos durante várias horas por causa de outra falha informática). No caso do incidente relativo à Bolsa de Nova Iorque, nem todos os sistemas foram afectados. As ações continuaram a negociar noutras plataformas, como a operada pela Nasdaq OXM Group e a BATS Global Markets.

A sessão encerrou com números vermelhos nos principais índices do mercado americano. No caso do S&P 500, o indicador mais representativo do mercado norte-americano, as perdas foram de 1,7%, embora tenha sido capaz de se manter sobre o nível dos 2.000 pontos. Também sofreram perdas de 1.7% o Nasdaq 100, enquanto que o Dow Jones cedeu 1,5%. 

Próximos eventos