Sentimento entre os investidores evidencia melhoria da situação económica


Keith Wade, economista chefe e Azad Zangana, economista Europeu, ambos da Shroders, consideram que a “fadiga fiscal está a atingir os governos desafiados pela dívida”. Os economistas explicam que um exemplo desta fadiga é a atitude do Primeiro Ministro Chinês que aparece a recuar na proposta de aumento da taxa do consumo para o próximo ano. Nos EUA os economistas dizem que “as finanças governamentais continuam a deteriorar-se com a dívida a crescer relativamente aos rendimentos nacionais”.

O conselho de Keith Wade e Azad Zangana é de que será necessária uma maior consolidação fiscal para estabilizar a dívida em relação ao PIB na maioria das economias, excluindo na economia Alemã.

Um ano depois da promessa de Mário Draghi de que faria tudo o que fosse necessário para salvar a moeda europeia, ambos os economistas acreditam que a Zona Euro está a mostrar sinais de recuperação. “A confiança do investidor tem melhorado gradualmente o que contribui para a redução dos custos associados à crise que atingiu os países periféricos da Europa, como o caso de Espanha e Itália”, afirmam.

Com a maior confiança do investidor, os especialistas da Schroders acreditam que aparecerá maior procura do exterior, factor que ajudará na recuperação do euro. No entanto, Keith Wade e Azad Zangana consideram que esta maior procura poderá “prejudicar a competitividade dos exportadores europeus. Enquanto isso, a fragmentação da taxa de juro está a reduzir-se, embora se mantenha, ainda, em níveis desafiantes”.

Empresas

Outras notícias relacionadas


O Mais Lido

Próximos eventos