Tags: Obrigações | Ações |

Schroders lança ferramenta inovadora em português que ajuda os investidores a tomar decisões de investimento racionais


A Schroders volta desbravar caminho no campo da tecnologia, e desta vez apresenta ao mercado português uma ferramenta inovadora desenhada em colaboração com Joe Gladstone, cientista e investigador da Universidade de Cambridge, especializado na teoria do comportamento financeiro.

A IncomeIQ tem precisamente o objetivo muito específico de ajudar os investidores a determinar quais os enviesamentos e condicionantes comportamentais que afetam as suas decisões de investimento. O repto  é simples: desafiar o investidor a aumentar o seu “incomeIQ”, de forma a que os retornos dos seus investimentos sejam melhorados e maximizados. Nesta plataforma, a gestora apresenta duas versões da ferramenta: uma orientada para o investidor final e outra para os assessores financeiros.

Determinar o perfil do investidor

Ver sempre o lado positivo das coisas é bom? Compra mais quando vai ao supermercado com fome? Porque somos seres humanos, e nem sempre somos lógicos ou racionais, há armadilhas mentais que podemos e devemos evitar no que toca à gestão do dinheiro. Da entidade realçam que esta ferramenta, “apoiada numa pesquisa aprofundada na área das finanças comportamentais, no ramo da psicologia cognitiva, e confrontando o modelo racional do “homo economicus”, tem por base “um teste que solicita a resposta e avaliação a questões e afirmações que estão direta e indiretamente relacionadas com investimento, a partir das quais é determinado o perfil do investidor”.

Carla Bergareche, diretora da Schroders para Portugal e Espanha refere que “numa altura em que as taxas de juro estão em mínimos históricos e em que a generalidade das rentabilidades são baixas, as fontes tradicionais de rendimento, como os depósitos a prazo ou as obrigações, não oferecem retornos que satisfaçam a maioria dos investidores e cresce a procura por soluções alternativas. A questão é que parte significativa dos investidores não tem consciência de tudo o que está em jogo quando tomam uma decisão de investimento”.

Prova disso são os resultados de um inquérito recente realizado pela Schroders a investidores a nível global. 88% dos inquiridos acredita ser melhor do que a média na tomada de decisões de investimento, o que indica que uma grande maioria está a sobrestimar as suas capacidades enquanto investidor. Para a profissional da gestora internacional “este excesso de confiança distorce a sua capacidade crítica, propiciando erros de avaliação”. Estes resultados impulsionaram por isso a criação da plataforma, agora apresentada.

O que tem por base este excesso de confiança?

Para Joe Gladstone, investigador que ajudou a criar a ferramenta, “o problema deste enviesamento subconsciente é que ele acaba por afectar a saúde financeira de um investidor sem que ele sequer se aperceba”. Explica que “ao conhecer aquilo que tende a afetar a sua racionalidade, estará mais capacitado a conseguir olhar para a sua estratégia de investimento como um todo, em função dos seus objetivos de retorno e da sua propensão ao risco, mas considerando também o que condiciona o seu comportamento”.

Profissionais
Empresas

Outras notícias relacionadas


Próximos eventos