Tags: Pensões | Ações |

Retorno dos fundos de pensões nacionais novamente em queda em setembro


Embora a rendibilidade mediana estimada dos fundos de pensões  desde o início do ano até setembro esteja em terreno positivo, mais concretamente 0,8%, no nono mês do ano a performance destes produtos não foi a melhor.

Segundo os dados da Mercer, em setembro os fundos de pensões portugueses obtiveram uma rendibilidade mediana estimada de -0,7%, “devido ao desempenho negativo das ações”.

A entidade escreve que “os resultados de setembro foram negativamente influenciados pelos dados do FMI relativamente ao abrandamento da economia global particularmente nos países emergentes” e ainda por causa do “receio da subida das taxas de juro por parte da Fed”. O contributo das ações no mês foi portanto negativo, mais concretamente -3,7% de rendibilidade.

Já o desempenho das obrigações em setembro para os fundos de pensões, embora não muito avultado, foi positivo, em 0,5%.

A Mercer explica que “a yield das obrigações de dívida privada com qualidade de crédito AA e maturidade superior a 10 anos, índice de referência para as taxas de desconto dos planos de pensões, era de 2,08% no final do mês de setembro”, enquanto em agosto se situava nos 2,03%.

Para Rui Guerra, Partner da Mercer, “os fundos de pensões portugueses obtiveram em Setembro uma rendibilidade mediana estimada de -0.7%, devido ao desempenho negativo das ações. Os resultados de Setembro foram negativamente influenciados pelos dados do FMI relativamente ao abrandamento da economia global, particularmente nos países emergentes, e ao receio da subida das taxas de juro por parte do FED.”

Profissionais

Outras notícias relacionadas


O Mais Lido

Próximos eventos