Tags: Negócio |

Resultados BiG: ativos sob supervisão cresceram 33% no primeiro semestre


Continua a “onda” positiva de resultados  na banca nacional. Desta vez é o BiG – Banco de Investimento Global que demonstra que no primeiro semestre de 2015 alcançou um  lucro líquido de 51,6 milhões de euros, o que representa uma subida de 27% relativamente ao período homólogo de 2014.

Segundo o que se pode ler no comunicado oficial da entidade, “os resultados líquidos refletem uma diminuição da margem financeira líquida devido à compressão dos spreads, comissões líquidas que mais do que duplicaram, um aumento dos resultados líquidos de tesouraria e mercados de capitais, e uma redução nos custos de funcionamento em 18%, relativamente ao mesmo período de 2014”. Precisamente as comissões líquidas  avançaram para os 8,8 milhões de euros, comparativamente com os 3,1 milhões do final de junho de 2014.

Ativos sob supervisão nos 2.851 milhões de euros 

Em destaque estiveram ainda os ativos sob supervisão (depósitos de clientes, ativos sob gestão e sob custódia). Nesta rubrica o crescimento foi de 33% para os 2.851 milhões de euros. Quanto ao total do Ativo, no final do primeiro semestre de 2015 este situou-se nos 1.600 milhões de euros, 19,6% acima do período homólogo de 2014, devido a um aumento dos ativos remunerados.

No seu comentário sobre os resultados, o presidente e CEO do BiG, Carlos Rodrigues, referiu que “as indicações durante este primeiro mês de julho são de persistente desconfiança sobre a capacidade de implementação do terceiro resgate à Grécia e a ansiedade gerada pelo “timing” da quase certa subida de taxas pelo Federal Reserve nos Estados Unidos até final do ano”. Assim o responsável pela instituição entende que no segundo semestre de 2015, “as condições de exploração bastante são mais difíceis”.

Outras notícias relacionadas


Próximos eventos