Tags: Negócio |

Relatório de Gestão e Contas: ‘fotografia’ da Banif Gestão de Activos no ano passado


O Banco liderado por Jorge Tomé e Luís Amado publicou recentemente o seu Relatório de Gestão e Contas referente a 2014, um ano que, segundo ambos expressam no documento divulgado na CMVM, “fica marcado pela finalização da 2ª fase do processo de recapitalização do Banif, que completou em Maio o montante de 450 milhões de euros de aumento de capital destinado a investidores privados, através da colocação da última parcela de 138,5 milhões de euros, por intermédio de oferta pública destinada ao público em geral”. Como já tinha sido divulgado no final de fevereiro, em 2014 o Banco apresentou um prejuízo de 295, 4 milhões de euros, o que, ainda assim, representa uma ligeira melhoria face aos resultados de 2013.

Queda no montante gerido

No documento agora divulgado, o Banif sintetiza também alguns aspectos referentes ao negócio da banca de investimento e da gestão de ativos da entidade. Concretamente sobre esta última, referem que a 31 de dezembro de 2014 a área de gestão de ativos tinha sob gestão 2.680 milhões de euros, um montante mais reduzido do que no final de 2013. Por essa altura o montante era de 2.986 milhões de euros, o que representa uma diminuição de 10,3% quando se compara com 2014.

O foco da Banif GA em 2014

O contexto de mercado do ano que passou é apontado no relatório como a justificação para a “maior procura por produtos de investimento que proporcionam rendibilidades competitivas, beneficiando o sector dos fundos e, em particular, as suas classes mais conservadoras”. Desta feita, foram dois os vectores que conduziram a estratégia da Banif Gestão de Activos durante 2014. Por um lado o “ajustamento da oferta de fundos de investimento mobiliário e reposicionamento do portefólio de fundos imobiliários tendo em conta as condições de mercado vigentes” e, por outro, o “maior dinamismo comercial junto da rede do Banif”.

Motivos de redução de montantes

Em termos de montantes, no ano que passou “foram colocados 59,6 milhões de euros em fundos mobiliários”, enquanto nos produtos imobiliários este número foi de 16,9 milhões de euros. No entanto, o documento relata que nos fundos mobiliários os ativos geridos passaram de 632,4 milhões de euros no final de 2013, para 495 milhões no termino de 2014, o que se traduz numa queda de quase 22%. Nos imobiliários a redução foi menos significativa, com os montantes geridos a recuarem dos 737,8 milhões de euros no final de 2013, para os 697,9 milhões no final do ano passado.  No caso dos produtos mobiliários, a entidade justifica que a redução se “deveu-se ao volume de resgates ocorridos no Art Invest e no Fundo de Gestão Passiva, direito exercido pelos participantes que votaram contra as respectivas prorrogações da duração destes fundos”.

Gestão de patrimónios: uma área restruturada

“Com o objectivo de robustecer o seu papel na definição e implementação da proposta de valor para o segmento de clientes de alto valor do Banif”: estas são as palavras que a entidade apresenta  para justificar a restruturação pela qual passou a área de Wealth Management. Foi criado o Gabinete de Proposta Poupança Investimento, cuja missão é o desenvolvimento da Proposta de Valor Poupança Investimento para os clientes affluent e private e foi ainda restruturado o Gabinete  de Gestão de Patrimónios e Consultoria para o Investimento cuja missão passa pela “concepção de carteiras de investimento perfiladas e pelo apoio às áreas comerciais”.

Empresas

Outras notícias relacionadas


O Mais Lido

Próximos eventos