Tags: Negócio |

Quem são os potenciais compradores do ActivoBank?


O ActivoBank nasceu em 1994 como primeiro banco telefónico em Portugal. Ao longo dos anos foi apresentando aos seus clientes inúmeras soluções de investimento materializando-se numa plataforma online onde disponibiliza vários tipos de produtos financeiros. No que toca à oferta de fundos de investimento é comummente designado por 'supermercado', ao oferecer uma multiplicidade de fundos de diferentes casas gestoras internacionais e nacionais.

Em 2014, a instituição apresentou um crescimento líquido de cerca de 17 mil clientes tendo registado no negócio de fundos de investimento um aumento ligeiro. No final do ano passado, a carteira de fundos detidos pelos clientes ascendia a aproximadamente 116,1 milhões de euros, o que correspondia a um aumento de cerca de 6,3 milhões face a 2013. Igualmente ao nível do negócio em bolsa, o incremento esteve na ordem dos 18% no número de ordens executadas. Os volumes transacionados situaram-se nos 1.101 milhões de euros. No que refere a unit linked e seguros de poupança, bem como obrigações e produtos estruturados a tendência foi contrária, existindo um decréscimo de 12,5 milhões de euros face ao ano anterior. Em suma, a evolução patrimonial ao longo de 2014 no ActivoBank, traduziu-se num crescimento significativo dos depósitos de clientes. O património financeiro ficou próximo dos 798,2 milhões de euros, ou seja, mais 11,1% do que em 2013.

Outro dos pontos de relevo da instituição financeira que sairá da esfera do Grupo Millennium BCP até ao final do ano é a subida de 71,1% (para os 8,5 milhões de euros) da margem financeira e das comissões líquidas que se fixaram nos 5,5 milhões de euros, mais 7% do que no final de 2013. No global e, segundo o relatório e contas apresentado, o produto bancário teve um acréscimo de 95,2% para os 19,5 milhões de euros.

Possíveis compradores: 2 instituições com percursos distintos

Na corrida à compra da instituição estão o Banco Privado Atlântico (Europa). Trata-se de uma entidade financeira nascida em 2009, com sede em Lisboa, constituindo o primeiro passo da estratégia de internacionalização do Banco Privado Atlântico, banco de raiz angolana, fundado em 2006 e com sede em Luanda.

O Atlântico Europa, parte integrante da estratégia global da casa mãe, apresentou um resultado líquido a 31 de dezembro do ano passado de 3,8 milhões de euros, enquanto o produto bancário totalizou 20,4 milhões de euros.

Relativamente à possível aquisição do ActivoBank, da instituição confirmam o interesse, naturalmente integrado na estratégia de crescimento do Banco Privado Atlântico. Contudo, não adiantam mais detalhes sobre a eventual operação.

Outro potencial comprador para a plataforma, ainda inserida no Grupo Millennium BCP, são os CTT - Correios de Portugal. Esta eventual aquisição não seria uma novidade para o mercado já que noutros países se assistiram no passado a operações semelhantes, isto é, aquisição ou participação de entidades não financeiras como por exemplo a tecnológica Indra, em Espanha, na Inversis.

Recorde-se ainda que no passado 4 de novembro foi aprovado pelo Conselho de Administração dos CTT o lançamento do Banco Postal, dando continuidade à estratégia de expansão da oferta de produtos e serviços financeiros. Já este ano, a 6 de fevereiro de 2015 e, neste contexto de constituição do Banco Postal, foi constituída a sociedade CTT Serviços SA.

Esta situação não deixa, de alguma forma, de poder estar estrategicamente relacionado com o possível interesse na compra do ActivoBank.

Salienta-se, por último, os resultados consolidados dos CTT no primeiro trimestre deste ano, período em que se verificou um forte crescimento do EBITDA recorrente para 41,7 milhões de euros e do resultado líquido para 22,3 milhões de euros, o que corresponde a mais 23,3% do que no período homólogo. 

Empresas

Próximos eventos