Tags: Obrigações | Ações |

Quem é a Janus Capital, a gestora para onde foi Bill Gross?


Na semana passada, Bill Gross impulsionou a indústria de gestão de ativos ao anunciar a sua saída da PIMCO, a gestora que ele próprio fundou à quase meio século. O gestor já se encontra a trabalhar na Janus Capital, que segundo as suas próprias palavras foi escolhida devido à “estreita relação e respeito com Richard M. Weil", e ainda por causa do seu desejo de dedicar a maior parte do seu tempo a gerir ativos.

Mas o que faz a Janus Capital?

A gestora é norte-americana e está cotada em bolsa e curiosamente tem praticamente os mesmo anos de existência da PIMCO. Iniciou a sua atividade como uma casa em que o investimento core eram as ações, com forte vocação para a análise fundamental. Só a partir dos anos 80 é que começou a incorporar as obrigações na sua gama de produtos.

Durante 25 anos, a equipa que se dedica às obrigações da entidade procurou criar carteiras, utilizando a experiência na seleção de créditos corporativos e de gestão. Bill Gross vai para uma casa diferente daquela que deixou na PIMCO. A primeira grande diferença que o “rei das obrigações” vai encontrar é a utilização do Quantum, um sistema de gestão de risco que foi desenvolvido pela entidade e que procura oferecer informação em primeira mão.

A segunda maior diferença reside na filosofia de trabalho. Na Janus Capital a equipa de obrigações trabalha em estreita colaboração com a equipa de ações, o que faz com que a visão de mercado seja mais abrangente. A comunicação é um dos ativos mais importantes. Na entidade defendem que esta forte associação e a fluidez de comunicação entre as equipas faz com que existam mais oportunidades de investimento, o que vai ajudar a impulsionar os resultados dos clientes.

Bill Gross vai trabalhar a partir da Califórnia (Newport Beach), mas a sede da Janus Capital é em Denver, no estado do Colorado. A entidade tem escritórios abertos em praticamente todos os continentes e encerrou o primeiro semestre de 2014 com um volume de negócios na ordem dos 177.000 milhões de dólares, segundo os dados facultados pela própria entidade. A entidade não opera em Portugal mas em Espanha tem mais de 2 mil clientes e um património a rondar os 159 milhões de euros, segundo os dados do regulador espanhol. Fundos de ações, de obrigações, growth, value, core, alternativos, entre outros, são algumas das disciplinas onde a entidade apresenta produtos.

 

Outras notícias relacionadas


Anterior 1
Anterior 1

O Mais Lido

Próximos eventos