Tags: Pensões |

Que fundos de pensões abertos ‘ganham’ no último ano?


Os doze meses anteriores ao final do mês de janeiro foram marcados pela grande volatilidade existente nos mercados financeiros. Por exemplo, o PSI-20, nesse período, registou uma volatilidade superior a 25%. Analisando os fundos de pensões abertos, cujas sociedades se encontram registadas na Associação Portuguesa de Fundos de Investimento, Pensões e Patrimónios – APFIPPverificamos que apena quatro produtos conseguiram registar rendibilidades positivas no período em questão. De realçar que o resultados presentes na lista da APFIPP são “brutos de impostos e não consideram comissões de subscrição e resgate, bem como outras comissões e encargos eventualmente suportados directamente pelos participantes, que variam de acordo com as condições estabelecidas no regulamento de gestão de cada Fundo. No caso dos Fundos de Pensões Abertos geridos pela BPI Vida e Pensões, uma vez que o valor das respectivas unidades de participação é divulgado bruto da comissão de gestão, as rendibilidades apresentadas neste documento encontram-se deduzidas do respectivo valor da taxa de encargos correntes (anterior taxa global de custos).”

De acordo com a Associação, a liderança entre os fundos de pensões abertos vai para o fundo Protecção 2020 cuja sociedade gestora é a BBVA Fundos. Trata-se de um fundo com garantia de capital que no período em análise regista uma rendibilidade de 1,8%, tendo fechado janeiro com mais de 21,8 milhões de euros em património. Os últimos dados disponíveis, referentes ao final do ano passado, mostram que praticamente toda a carteira está investida em títulos de dívida soberana espanhola.

Acima de 1% de rendibilidade nos últimos doze meses ainda surge mais um fundo. Trata-se do Banif Reforma Garantida que é da responsabilidade da Banif Pensões. O produto, tal como o anterior, é com garantia de capital e tinha, no final de janeiro, um volume sob gestão de praticamente um milhão de euros. O foco do investimento centra-se em títulos de dívida, com esta componente a representar 94% da carteira – entre investimento direto e fundos de investimento.

O terceiro produto com melhor comportamento nos últimos doze meses é o Horizonte Segurança. A sua sociedade gestora é a Ocidental Pensões e no prazo em questão regista uma evolução de 0,6%. No final de janeiro a sua carteira geria mais de 43 milhões de euros. No último dia de janeiro, mais de 87% da carteira era constituída por obrigações, com os “imobiliários e hedge funds” a serem a ‘segunda maior força’ com uma representação de quase 8%.

Com uma rendibilidade próxima de 0%, segundo a APFIPP, vem o produto Caixa Reforma Activa que é da responsabilidade da CGD Pensões. É o maior produto entre os mais rentáveis com um volume sob gestão de quase 115 milhões de euros. No final de 2015 cerca de metade da carteira estava alocada em obrigações de taxa indexada, com as obrigações de taxa fixa a representarem uma fatia de 22% dos ativos do produto.

Os melhores fundos de pensões abertos a doze meses

FundoGestoraRendibilidade 12 meses 
Protecção 2020BBVA Fundos1,80%
Banif Reforma GarantidaBanif Pensões1,50%
Horizonte SegurançaOcidental Pensões0,60%
Caixa Reforma ActivaCGD Pensões0,0%
Fonte: APFIPP no final de janeiro
Upload
Empresas

Outras notícias relacionadas


Próximos eventos