Qual a visão da Franklin Templeton por detrás da alocação dos Diversified Funds?


A gama de produtos Franklin Diversified Funds foi lançada em fevereiro de 2006, e desde então não têm existido mudanças na sua gestão. Os três produtos da Franklin Templeton Investments que compõem a gama de fundos Multi Asset/Target Funds, segundo a gestora, carateriza-se essencialmente por “um exaustivo controlo de risco”, que segue uma filosofia a que apelidam de “Risk Factor Investing”, que, por esta altura de mercado, não podia soar melhor.

A 30 de setembro, existiam vários pontos temáticos que sustentavam a alocação de ativos a curto prazo destes produtos. As principais conclusões do Global Investment Comitee levado a cabo por esta altura, referiam que “os indicadores e análises mostram que a inflação global poderá permanecer estável, favorecendo um contexto de liquidez que beneficiará as ações”.

Relativamente à política monetária global acomodatícia, da casa gestora entendem que “os bancos centrais manterão as taxas de juro baixas no curto prazo e, continuarão a injetar liquidez em algumas regiões fora dos Estados Unidos”. O QE “levado a cabo na Zona Euro e Japão ajudará a suportar a expansão económica a nível mundial”. No que toca à normalização da política monetária pela Fed, da gestora referem que esta “tem sido antecipada por muitos investidores devido a uma melhoria do mercado de trabalho norte-americano, devido às incipientes pressões salariais e inflação, que pouco a pouco vão mostrando uma tendência de subida, que nos faz ver uma oportunidade dentro do contexto global de Multi-Assets”.

Por último, a discrepância no crescimento regional do PIB,  também se interpõe como um tema importante para a gestora, porque estas diferenças de crescimento “geram oportunidades quando somos selectivos”.

Resultados em 2015

Os resultados desta gama de produtos são expressivos. Nos meses já decorridos de 2015 (dados de 29 de outubro) o Franklin Diversified Dynamic Fund alcança 5,8% de retorno, enquanto o Franklin Diversified Balanced Fund chega aos 4,1%, e o Franklin Diversified Conservative Fund aos 1,4% de rentabilidade.

Em relação à alocação de ativos subjacente a esta gama de fundos, há diversos pontos a referir. Da casa mantêm-se neutrais em ações vs cash, equilibrando a “política monetária acomodatícia" e o que veem "como valorizações relativas favoráveis que possam suportar as ações”. No campo das ações, veem mais valor nas ações europeias, comparativamente com as norte-americanas, por causa da “ótima sensibilidade nos EPS”.

Nas obrigações, a entidade opta por privilegiar as treasuries de prazos intermédios, sendo adotada uma “visão favorável em cash, que é suportada pela normalização da política monetária da Fed e o seu tom mais hawkish”. 

Empresas

Outras notícias relacionadas


Próximos eventos